Seguro Rural: item necessário para o cafeicultor

O seguro rural para o produtor deve ser considerado um item necessário, em razão das adversidades climáticas atuais. O café é uma cultura perene, irrigada ou sequeiro, produzido em regiões e altitudes diversas. Por isso, deve, obrigatoriamente, ser segurado, desde a planta.

Com a produtividade crescente e cotações das mais variadas, é uma cultura com alto índice de especulação. Ligar o hedge ao seguro rural é uma forma de proteger não somente a planta, mas também a rentabilidade do produtor. O cafeicultor muitas vezes não faz o seguro por desconhecimento. Esse é um trabalho desenvolvido, de forma permanente, através dos Comitês Técnicos do Conselho Nacional do Café (CNC) e de cooperativas.

Continua após o anúncio

Para se ter uma ideia, em 2021 foram contratadas 217.934 apólices, considerando todas as culturas. Os produtores de grãos sabem da importância do seguro e representaram 75,94% do volume total de contratações. Já o café teve um desempenho de 3,52%, porém, os números representaram um crescimento de mais de 40% em relação ao ano anterior. O governo subsidiou um montante de mais de R$ 1,18 bilhão em 2021. A agricultura teve 14.007,152 hectares segurados no ano passado. Os estados que mais contrataram foram: Paraná (38%), Rio Grande do Sul (21%), São Paulo (14%), Santa Catarina (7%) e Minas Gerais (6%).

Garantia à subvenção

E está tramitando na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 2700/21, que transfere para o orçamento das Operações Oficiais de Crédito (2OOC) os recursos destinados à subvenção econômica do Prêmio do Seguro Rural (PSR), que hoje estão alocados no Ministério da Agricultura.

O texto altera a Lei 10.823/03, que autorizou o governo federal a pagar parte do prêmio devido pelo agricultor ao contratar o seguro rural. O seguro cobre as perdas decorrentes principalmente de fenômenos climáticos adversos, como seca e geada.

O Conselho Nacional do Café tem acompanhado de perto a tramitação desse projeto e exalta o trabalho do seu autor, o deputado Felipe Rigoni (ES). Se aprovado, o projeto vai garantir a execução das despesas reservadas para a subvenção econômica ao PSR. As Operações Oficiais de Crédito (2OOC) estão entre os órgãos que não são afetadas pelos contingenciamentos periódicos decretados pelo governo, diferente do que ocorre com o Ministério da Agricultura.

O CNC enfatiza a importância de o cafeicultor contratar um seguro para sua lavoura, pois é a garantia de que em um momento de crise hídrica ou geada severa, ele não estará desprovido de capital para manter-se no campo e se ver obrigado a abandonar a cultura a que tanto se dedica.

Fonte: CNC

Últimas notícias

Confirmada: 11ª Feira de Negócios Coocafé será presencial

Um dos principais eventos realizados para o cooperado Coocafé é a Feira de ...

Alunos aprendem, na prática, como vacinar o rebanho

Mais uma ação do projeto “Vai pra Roça” foi realizada em São Gabriel ...

Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

Uma novidade foi lançada pela Companhia Nacional de Abastecimento  (Conab) para os pecuaristas ...

Alysson Paolinelli, indicado ao Nobel da Paz, participará da Feira de Agronegócios da Cooabriel

Indicado ao prêmio Nobel da Paz em 2021, o ex-ministro e professor Alysson ...

Prazo para vacinar animais de 0 a 2 anos contra febre aftosa está acabando

A vacinação de bovinos e bubalinos acontece até o dia 31 de maio ...