Setor agro é um dos mais atingidos pelo novo texto da reforma tributária

O relatório final da reforma tributária – elaborado pela Comissão Mista do Senado e da Câmara dos Deputados responsável por analisar a matéria – já começou a tramitar pelas comissões técnicas das duas casas. Apresentado na última semana, o documento preocupa entidades que representam o agronegócio. Isso porque, segundo o advogado tributarista Lucas Ribeiro, o setor deve ser um dos mais atingidos.

A Comissão Mista se debruçou sobre as Propostas de Emenda Constitucional (PECs) 45/2019 e 110/2019. O fim de incentivos fiscais e de benefícios tributários nas compras de máquinas e implementos agrícolas, insumos e produtos agropecuários, bem como a desoneração de alimentos da cesta básica, estão entre as mudanças que mais vão impactar a cadeia produtiva do agronegócio. É o que observa Lucas Ribeiro, que é fundador e CEO do ROIT BANK, accountech e fintech especializada em gestão contábil, fiscal e financeira de empresas no regime tributário Lucro Real.

Sem essas medidas, que historicamente buscam fomentar uma das atividades econômicas que mais contribui para o Produto Interno Brasileiro (PIB) e para o saldo da balança comercial do país, de fato a preocupação de empresários do setor – a de que sofrerão aumento na carga tributária – faz sentido, avalia Ribeiro. Pela reforma tributária em tramitação, o agronegócio, assim como outras atividades, seria taxado em 25% pelo tributo a ser criado, o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS).

“O IBS será resultado da fusão de cinco tributos – o PIS (Programa de Integração Social), o COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) o e ISS (Imposto Sobre Serviços). Hoje, estão em boa parte desses tributos os benefícios fiscais de fomento ao agronegócio brasileiro”, explica o especialista.

Outra preocupação, continua Ribeiro, está no fato de que o IBS irá abranger os produtores rurais pessoas físicas. Além de arcar com esse tributo, a taxação vai exigir desses agricultores uma gestão contábil mais eficiente, com a qual muitos não estão familiarizados, nem preparados.

Entidades que representam o agronegócio têm defendido a necessidade e a urgência de uma reforma tributária. Contudo, fazem ressalva sobre os impactos que as propostas em discussão vão trazer para a cadeia produtiva da agricultura e da pecuária nacionais.

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) vem realizando debates, virtuais, com especialistas, para obter análise e orientações para os produtores rurais. Em divulgações em seu site sobre o assunto, a CNA pontua para o risco de o agronegócio brasileiro, uma das atividades econômicas mais pujantes, perder competitividade externa.

Temor semelhante ao de federações estaduais, como a do Paraná (Faep). Também em matérias em seu site, a Faep calcula aumento nos custos de produção de commodities como soja e milho, na ordem de 17%, só entre os produtores do oeste paranaense. A pecuária leiteira em outras regiões do país, a pecuária de corte e a produção de cana-de-açúcar também devem sofrer com o incremento nos custos de produção.

Para Lucas Ribeiro, a aprovação do relatório final no último dia 12 é um indicativo de que a reforma tributária deve entrar na agenda política e econômica do país. Por isso, o especialista orienta: as empresas precisam se preparar para as mudanças e, ao mesmo tempo, acompanhar e participar dos debates que virão, nas comissões específicas da Câmara dos Deputados e do Senado.

Fonte: Engenharia de Comunicação

Últimas notícias

Coops já podem enviar projetos para o PAA

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou o sistema para recebimento dos projetos ...

Selo Arte para produtos de abelhas e derivados terá início em outubro

Podem receber o Selo produtos artesanais de abelhas Apis mellifera e de abelhas ...

Você conhece a Doença de Haff? Mapa monitora casos no Brasil

Orientação é que consumidor adquira pescado com selo de inspeção oficial O Ministério ...

Fórum Café e Clima apresenta condições da produção diante dos impactos climáticos

Como os cafezais estão reagindo diante do comportamento do clima, marcado por seca, ...

Bolsonaro veta projeto sobre medidas emergenciais de amparo à agricultura familiar

Foto: Veja O presidente Jair Bolsonaro vetou um projeto de lei sobre medidas ...