Silas Brasileiro é reconduzido à Presidência Executiva do CNC

Os membros do Conselho Nacional do Café (CNC), em Assembleia Geral Ordinária (AGO) realizada, virtualmente, reelegeram Silas Brasileiro para a Presidência Executiva da entidade durante o próximo biênio, que se estenderá até 22 de março de 2023. A seu lado, ele terá Maurício Miarelli como coordenador e o novo Conselho Diretor, também eleitos na reunião, para orientarem os trabalhos a serem implantados.

“Teremos dois anos desafiadores. Seguiremos diante do impacto sanitário, que deve começar a mitigar com o avanço da vacinação, e, principalmente, do econômico causados pela pandemia da Covid-19, os quais nos obrigam a nos reinventar e a buscar inovações. Pretendemos estruturar nossos comitês para um plano de ação com foco em estatística, pesquisa e tecnologia, sustentabilidade e comunicação, visando ao fortalecimento e à modernização da cafeicultura”, pontuou Brasileiro.

Na esfera política, o presidente do CNC reforça que a entidade seguirá estreitando laços com os parlamentares e o governo federal para a preservação do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) e para ampliar o capital destinado a pesquisa e inovações. “O Funcafé é a principal fonte de recursos exclusivos à cafeicultura e é fundamental para que o Brasil permaneça como principal player mundial, com investimentos em pesquisa e tecnologia, de maneira que nossos produtores sigam com renda na atividade”, explicou.

O presidente do CNC argumentou que essa aproximação é importante para o andamento normal das políticas ao setor. “No anseio de alcançarmos resultados, é necessário que nossos parlamentares votem e aprovem as orientações vindas do Conselho Deliberativo da Política do Café, que é composto por todos os segmentos do setor privado e pelo governo federal, com uma excelente condução da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura e apoio incondicional da ministra Tereza Cristina. Assim, teremos efetivas políticas públicas para a cafeicultura, voltadas às necessidades reais da atividade”, completa.

Para o próximo biênio, o Conselho Diretor do CNC contará com nove conselheiros — confira as biografias aqui: Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé; Carlos Sato, presidente da Cocapec; Francisco Sérgio de Assis, presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado; Guilherme Salgado Rezende, presidente da BSCA; José Marcos Rafael Magalhães, presidente da Minasul; Leonardo de Mello Brandão, vice-presidente da Coccamig; Luiz Carlos Bastianello, presidente da Cooabriel; Luciano Ribeiro Machado, Superintendente do Bancoob; e Marco Valério Araújo Brito, presidente da Cocatrel e da Coccamig.

Entidade também elegeu conselheiros diretores e o coordenador, que, ao lado do presidente, conduzirão os trabalhos até março de 2023

“A partir da próxima gestão, contaremos com os préstimos de nossos debutantes Guilherme Rezende (BSCA) e Bastianello (Cooabriel), que possuem espírito cooperativista, posturas coerentes aos princípios do cooperativismo, além de destacada gestão à frente de suas entidades, o que agrega valor e qualifica ainda mais o corpo diretivo do CNC para a melhor tomada de decisões visando ao fortalecimento sustentável dos cafés do Brasil”, concluiu.

Fonte: CNC

Últimas notícias

Evento discute o futuro da produção de alimentos e do agronegócio no país até 2050

“Agronegócio, pesquisa e inovação no Brasil – caminhos para o futuro da produção ...

Perspectivas do mercado de grãos no Espírito Santo serão debatidas na próxima semana

Iniciando o calendário de capacitações e qualificações para seus parceiros e associados em ...

Sistemas de recirculação de água podem ser usados para produzir peixes em nível comercial

Foto: PqC. Eduardo Medeiros Pesquisas realizadas pelo Instituto de Pesca (IP-APTA), da Secretaria ...

Fungo inédito no inhame e na samambaia é descoberto por pesquisadores

Um novo fungo que acomete o inhame e a samambaia preta foi encontrado, pela primeira ...

Como os insetos dão pistas aos peritos na cena do crime

Embora a visão de larvas em um cadáver não seja agradável, elas podem ...