Taboa tem potencial para minimizar impacto de minério de ferro no solo

A taboa (Typha domingensis), planta aquática comum em várias regiões do País, pode ser a solução para mitigar os danos ao ambiente no estuário do Rio Doce, distrito de Regência (ES). A região foi diretamente impactada a partir do rompimento da Barragem do Fundão, em Mariana (MG), umas das maiores tragédias ambientais brasileiras, ocorrida em 2015. 

Um estudo desenvolvido na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) publicado em janeiro no Journal of Hazardous Materials, tem como primeira autora a engenheira agrônoma Amanda Duim Ferreira e traz resultados promissores. 

Continua após o anúncio

Além de Amanda, estão envolvidos no desenvolvimento do projeto pesquisadores do Grupo de Estudo e Pesquisa em Geoquímica de Solos da Esalq, que tem coordenação de Tiago Osório Ferreira, professor do Departamento de Ciência do Solo.

“A acumulação de ferro pela taboa e sua possibilidade de remediação são novidades. Além da vantagem por acumular maior quantidade de ferro na parte aérea e possibilitar o manejo de maneira mais fácil, essa planta tem crescimento rápido”, explicou a autora.

Leia a reportagem completa

Fonte: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”/USP

Últimas notícias

Confirmada: 11ª Feira de Negócios Coocafé será presencial

Um dos principais eventos realizados para o cooperado Coocafé é a Feira de ...

Alunos aprendem, na prática, como vacinar o rebanho

Mais uma ação do projeto “Vai pra Roça” foi realizada em São Gabriel ...

Conab lança modalidade de leilão para abastecer pecuaristas

Uma novidade foi lançada pela Companhia Nacional de Abastecimento  (Conab) para os pecuaristas ...

Alysson Paolinelli, indicado ao Nobel da Paz, participará da Feira de Agronegócios da Cooabriel

Indicado ao prêmio Nobel da Paz em 2021, o ex-ministro e professor Alysson ...

Prazo para vacinar animais de 0 a 2 anos contra febre aftosa está acabando

A vacinação de bovinos e bubalinos acontece até o dia 31 de maio ...