Ufes, Idaf e Ministério da Agricultura promovem 1° Congresso de Fitossanidade no ES

Foto: Pixabay

Com objetivo de apoiar o ensino e o desenvolvimento científico e tecnológico sobre fitossanidade, a Ufes, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) e o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) realizam este mês o primeiro congresso capixaba sobre o tema. O evento vai acontecer entre os dias 24 e 27 de outubro, na Faculdade Estácio de Sá, em Vitória.

Com quatro dias de programação, o evento contará com exposições científicas, palestras e painéis de discussão, trazendo nomes de referência da fitopatologia do país. Pessoas interessadas em participar podem se inscrever por meio do site do congresso, onde também é possível acessar toda a programação.

SEGURANÇA ALIMENTAR – Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), estima-se que, anualmente, até 40% das colheitas de alimentos são perdidas por causa de pragas e doenças. Uma projeção propõe que as mudanças climáticas contribuem para a disseminação desses organismos em novas áreas do planeta, levando à perda de biodiversidade, a estragos nas plantações e à redução dos rendimentos de agricultores, correspondendo a um prejuízo no valor de 220 bilhões de dólares.

A fitossanidade, temática central do congresso, surge como o estudo de medidas de controle que previnem/reduzem o surgimento de prejuízos causados pela presença de pragas ou patógenos através de diversas técnicas. Sua importância está, em especial, na garantia da segurança alimentar, tendo em vista que as doenças de plantas são responsáveis por perdas significativas de produção e produtividade em todos os cultivos agrícolas e florestais.

O professor da Ufes e coordenador do Laboratório de Mecanização e Agricultura de Precisão e Digital (LabMAP), Samuel de Assis, um dos palestrantes do evento, destaca a importância do debate sobre o tema. “Pelo fato do estado ser um grande produtor agrícola e florestal, toda e qualquer ferramenta que possa aumentar a eficiência dos cultivos é relevante. Especificamente no caso do monitoramento das plantas daninhas, todos os benefícios estão intimamente relacionados às demandas e necessidades mais atuais e urgentes dos sistemas de produção”, explica.

Com sua linha de pesquisa voltada para as áreas de Tecnologia de Aplicação de Defensivos e Agricultura e Silvicultura Digital, Assis acredita que a participação da Ufes é de grande relevância para o território regional. “Toda universidade tem no seu DNA a produção de conhecimento e o desenvolvimento de tecnologia e inovação. Com a Ufes não é diferente. Logo, ações, trabalhos e eventos que tratem de tecnologia, produção e aplicação direta de conhecimento são de grande relevância e impacto”, afirma.

O congresso conta com o apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea/ES), da Sociedade Espiritossantense de Engenheiros Agrônomos (SEEA) e do Sindicato dos Fiscais Estaduais Agropecuários do Espírito Santo (Sinfragres).

Fonte: Ufes

Anúncio

Anúncio

Últimas notícias

Fendt lança combo com trator versátil e versões menores de plantadeira dobrável

Fotos: Divulgação Novidade reúne versatilidade, eficiência operacional e alta precisão A Fendt é ...

Agricultores de Ecoporanga se regularizam para venda direta de produtos orgânicos

Um grupo de agricultores familiares do município de Ecoporanga foi contemplado com a ...

Capacitação para operação de secagem e armazenamento de grãos preza pela segurança dos trabalhadores no Oeste baiano

No Oeste da Bahia, região essencialmente agrícola, a crescente necessidade de instalação de ...

Exportação de gengibre mais que dobra em janeiro de 2024

O valor exportado com o gengibre capixaba no primeiro mês deste ano foi ...

Mecanização é o caminho para a produtividade na silvicultura

A mecanização veio trazer novos ventos de prosperidade para a silvicultura. Nos últimos ...