Aprenda a preparar um café especial em sua casa

Fotos: Julio Huber e Grão Gourmet

Julio Huber

Hoje (14) é comemorado o Dia Internacional do Café, que é a segunda bebida mais consumida no mundo, depois da água. Importante produto agrícola nacional, o café com certeza é uma das paixões do brasileiro. No atual momento em que pessoas em várias partes do mundo estão em casa por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19), especialistas acreditam que o consumo do café deve ser ainda maior.  

O empresário Marcus Magalhães, consultor do mercado de café e proprietário da marca MM, explica o motivo do aumento do consumo da bebida. “O consumo de café em casa em todo o mundo vem aumentando devido a esse isolamento social. As pessoas deixaram de consumir café nas ruas e passaram a fazer em casa. Nas suas residências, as pessoas tomam mais café”, afirmou.

Marcus comentou que em casa é possível beber um bom café. “Para quem tem a possibilidade de comprar um café especial, compre, se tiver um moedor de café em casa, compre cafés especiais em grãos e experimente novas sensações sensoriais que o café pode proporcionar”, sugere.

O especialista ainda comentou que mesmo os cafés especiais, que custam em torno de R$ 10,00 o pacote de 250 gramas, é um custo baixo pelo prazer que a bebida traz. “O custo de uma garrafa fica cerca de R$ 1,50. Muito mais barato que uma long neck de cerveja, por exemplo. E o café te dá energia, alto estima, te faz uma companhia. Ou seja, café é para ser comemorado, como hoje, no Dia Internacional do Café”, destacou.

Quem quiser preparar um bom café em casa, rico em aromas e sabores, o primeiro passo é adquirir os grãos perfeitos sem defeitos com pontuação acima de 80 pontos. Para isso, não precisa ir longe. Os cafés brasileiros são reconhecidos no mundo, principalmente os produzidos em Minas Gerais, no Espírito Santo, na Bahia ou em São Paulo, o que possibilita uma grande diversidade de aromas e sabores.

Esses cafés são encontrados em embalagens de 250g e 500g, torrados em grãos ou moído, em lojas especializadas, cafeterias e supermercados. Para identificá-los é importante avaliar a embalagens e verificar se consta a origem e pontuação, na maioria das vezes estes cafés vêm acompanhados da identificação do agricultor.

E, para quem quiser preparar um bom café em casa, técnicos do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e os especialistas em café Fabiano Tristão Alixandre, Douglas Gonzaga de Sousa e Marx Bussular Martinuzzo preparam um passo a passo. Veja abaixo as dicas.

Em casa, a maioria das pessoas prepara o café coado

QUALIDADE DA ÁGUA – A água é responsável pela extração de cerca de 80% dos compostos aromatizantes solúveis presentes no café que vão formar o sabor, corpo, cor e outros atributos desejáveis da bebida. Sendo assim, a água deverá ser de boa qualidade, sem odor e impurezas.

TEMPERATURA DA ÁGUA – Não deverá ser usada água fervendo. O ideal é uma temperatura de 90 a 93ºC, pois assim permitirá uma boa extração dos componentes aromáticos do café. Caso não possua um termômetro em casa, desligue o fogo assim que a água começar a borbulhar e espere 30 segundos para usá-la.

FILTRO E UTENSÍLIOS – Passar água quente nos filtros e utensílios antes do preparo, além de aquecer o recipiente, previne a contaminação da bebida por resíduos de aroma e sabores do filtro.

QUANTO CAFÉ USAR – A proporção ideal entre café e água para um café filtrado deve estar entre: 50 a 80 gramas de café cada litro de água, para resultar em um bom balanço. (Pode variar de acordo com forma de preparo)

COMO SERVIR O CAFÉ – O café deverá ser servido preferencialmente em xícara de porcelana, sem adição de açúcar, pois além de ser mais saudável, dessa forma será possível desfrutar na integra dos sabores e aromas da bebida.

Um café de qualidade, com a torra correta, é fundamental para o preparo de um café de qualidade

PONTO IDEAL DA TORRA – O ponto de torra ideal para o preparo de cafés especiais é a média com tons de chocolate, o que favorece a preservação dos óleos essenciais e a explosão de aromas e sabores da bebida. De forma alguma deve-se usar a torra muito intensa que deixas os grãos muito escuros e com óleo aparente, acentuando o gosto amargo e eliminando os aromas agradáveis.

Para a maioria das formas de preparo, o ideal é usar o café com no máximo 15 dias após a torra, pois quanto mais recente a torra maior quantidade de compostos voláteis do café. É ideal também que os grãos sejam moídos na hora do preparo, o ponto de moagem vai depender da forma de preparo.

ARMAZENAGEM – O café deverá ser guardado dentro da própria embalagem ou em recipiente plástico bem limpo e fechado. Se for guardar na geladeira, use recipiente hermeticamente fechado, pois caso contrário, o café poderá absorver cheiros dos alimentos.

Últimas notícias

Edição 2020 da Corrida e Caminhada do Café será virtual

Atletas podem enviar registros de corridas em qualquer lugar para a organização do ...

Clima em setembro preocupa produtores de tomate estaqueado

O plantio do tomate estaqueado, ou tomate de mesa, já foi realizado nas ...

Egípcios exportam alho ao Brasil

Brasil abriu seu mercado de alho para o Egito no ano passado e ...

Biofortificação aumenta em 16 vezes o teor de zinco nas folhas de alface

Aplicação de fertilizante de baixo custo também pode fortalecer a renda do produtor  ...

Acerola é um dos alimentos mais ricos em vitamina C

Fruta pequena de cor vermelha e formato arredondado, a acerola tem um sabor ...