“Brasil será o maior produtor de carne bovina em cinco anos”, diz presidente da Nelore do Brasil

Nabih Amin El Aouar é presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB)

O sólido avanço da pecuária de corte no país nas últimas décadas leva Nabih Amin El Aouar, presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), a prever que o Brasil será o maior produtor mundial em cinco anos. “Já somos os maiores exportadores de carne bovina desde 2004, temos o maior rebanho comercial e, se o cenário se mantiver, até 2025 seremos também os maiores produtores de carne do mundo”, assinala o dirigente.

O Brasil assumiu a liderança das exportações de carne bovina em 2004, atingindo 1,17 milhão de toneladas, contra 1,16 milhão/t dos Estados Unidos. “Em 2019, exportamos 1,9 milhão de toneladas, com faturamento de US$ 7,7 bilhões. Os EUA venderam 1,43 milhão/t e a Austrália cerca de 1,3 milhão/t. A liderança é consolidada”, informa o presidente da ACNB. “Quanto à produção entre 2004 e 2019, o Brasil saltou de 8 milhões/t para 10 milhões/t e os EUA cresceram de 11 milhões/t para pouco mais de 12 milhões de toneladas”.

Nabih Amin El Aouar destaca que o maior gargalo da pecuária de corte brasileira, hoje, é a falta de padronização das carcaças. “Infelizmente, falta conhecimento a muitos produtores. Por isso, muitas vezes não sabem qual o nível de excelência exigido pelo mercado. Superado esse desafio, tenho confiança que não haverá limites para a carne bovina brasileira”, diz o presidente da ACNB.

Para o dirigente, essa perspectiva de crescimento será “de forma vertical, sustentável e reforçando para o mundo que o pecuarista brasileiro produz alimentos com responsabilidade social e ambiental”.

Presidente da entidade que reúne criadores de Nelore, que representa cerca de 80% do rebanho brasileiro, Nabih Amin El Aouar, informa que os trabalhos da ACNB estão voltados para o melhoramento genético da raça e serviços para os pecuaristas serem mais eficientes. “Graças ao investimento em genética feito pelos pecuaristas nas últimas décadas, o Nelore sofreu uma grande transformação, superando todas as metas. É considerada a raça mãe da pecuária no Brasil. E melhora a cada ano, oferecendo ao mercado animais cada vez mais jovens, com carcaças mais pesadas e com um melhor acabamento de gordura. A ACNB realiza o Programa de Qualidade Nelore Natural, iniciativa que premia os produtores que cumprem determinados requisitos de qualidade. A entidade também faz, em parceria com a Friboi e a Frisa, o Circuito Nelore de Qualidade, para avaliação de carcaças bovinas em todo o país.

Sobre o desempenho da pecuária e de todo o país pós-pandemia, Nabih Amin El Aouar é otimista. “Após um 2019 com resultados fantásticos para a pecuária de corte, a expectativa ficou ainda maior para este ano. Por enquanto, o setor tem reagido bem à crise, com bons números de exportação. A incógnita é o consumo interno. Mesmo que tenhamos um cenário negativo a curto prazo, estou otimista que em, no médio prazo, voltaremos ao ritmo normal de desempenho, já que o brasileiro é apaixonado por carne”.

Últimas notícias

Sustentabilidade no agronegócio é tema de webinar

Nesta quarta-feira (23), o Webinar BW TALKS recebe dois especialistas no agronegócio para tratar da ...

Agrofloresta diversifica produção e gera mais renda para a Agricultura Familiar

Sistema permite colheita o ano todo de diferentes culturas alimentares, enquanto produtor aguarda ...

Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha abre inscrições para as provas de velocidade

Haras Raphaela, em Tietê (SP), sediará competições do Quarto de Milha em quatro ...

Brasil exporta primeira carga de melão para China após acordo bilateral

Esta é a primeira fruta fresca brasileira exportada para o mercado chinês A ...

Edição 2020 da Corrida e Caminhada do Café será virtual

Atletas podem enviar registros de corridas em qualquer lugar para a organização do ...