Brasileiros se destacam em premiação mundial de cacau

Três produtores de cacau brasileiros foram premiados entre os 50 melhores do mundo no Cocoa of Excellence Awards. A cerimônia de premiação foi realizada nesta quinta-feira (16), de forma virtual, e transmitida para mais de 70 países, diretamente de Paris como parte da programação do Salão do Chocolate, maior feira para a indústria do cacau e do chocolate do mundo.

O produtor do sul da Bahia João Tavares Bisneto recebeu a premiação na modalidade ouro da América do Sul, ao apresentar amostras do cacau catongo. Com produção no município de Uruçuca (BA), ele repetiu o feito já conquistado nas edições de 2010 e 2011 do prêmio.

Em entrevista após o anúncio dos premiados, João Tavares destacou que cultivar cacau de alta qualidade e ser reconhecido como um dos melhores do mundo não é apenas uma honra, mas também tem impactos comerciais importantes. “Participamos do Cocoa of Excellence 2021 porque queremos dar visibilidade ao nosso trabalho. Isso é muito importante para a nossa receita: traz prosperidade ”, disse.

João Tavares é a terceira geração de produtores de sua família. Sua mãe, Maria Angélica, produtora de Ilhéus (BA), também foi premiada nesta edição do prêmio internacional na modalidade prata. Com a prata também foi premiado João Evangelista Lima, do Pará, a partir da variedade híbrida do cacau.

Na edição de 2021, o Cocoa of Excellence recebeu 235 amostras de grãos de cacau, de 53 origens nas quatro regiões produtoras de cacau do mundo – América do Sul; Ásia e Pacífico; América Central e Caribe e África e Oceano Índico.

Para a avaliação da qualidade física das amostras, os grãos são cuidadosamente processados em licor para avaliação sensorial às cegas pelo Comitê Técnico do Cacau de Excelência, um painel de especialistas internacionais em cacau e chocolate. Após uma análise de dados robusta, as 50 melhores amostras foram selecionadas e processadas em um chocolate amargo (seguindo uma receita de 66% de cacau) para avaliação sensorial pelo Júri da Edição de 2021.

O júri foi composto por 39 especialistas incluiu os membros do Comitê Técnico e especialistas adicionais de uma ampla gama de profissões de chocolatiers, especialistas em avaliação sensorial e fornecedores de sementes de cacau de 12 países.

Cada país produtor que deseja participar da premiação internacional elege um comitê organizador que seleciona as amêndoas que irão para a avaliação do Cocoa of Excellence Awards. No caso do Brasil, a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) coordena a participação dos produtores nacionais, tendo enviado oito amostras de cacau para a edição deste ano.

O Cocoa of Excellence trabalha para aumentar a conscientização e promover a educação ao longo da cadeia de fornecimento do cacau sobre as oportunidades de produzir cacau de alta qualidade e a necessidade de preservar os sabores resultantes da diversidade genética, do terroir e do know-how dos agricultores que preparam o cacau.

Fonte: Mapa

Últimas notícias

Incaper lança revista sobre Indicações Geográficas e Certificação na Agropecuária Capixaba

O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) lançou a ...

Açúcar: demanda fraca pressiona cotação do cristal

Os preços do açúcar cristal recuaram no mercado paulista, enquanto as negociações estiveram ...

Brasil bate recorde histórico em exportação de frutas em 2021

A demanda internacional aquecida, o clima favorável para a produtividade, a qualidade dos ...

Café solúvel quebra de recordes em 2021 e exporta para 98 países

Em mais um ano marcado pelo agravamento da pandemia mundial da Covid-19, que ...

Produtores rurais afetados pela alta temperatura e estiagem recebem orientação em SP

A Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP) está ...