Cafeicultor do Espírito Santo vence pela 3ª vez um concurso nacional de qualidade

Foto: Julio Huber

Julio Huber

O cafeicultor Luiz Cláudio de Souza, da Cooperativa dos Cafeicultores do Sul do Estado do Espírito Santo (Cafesul), de Muqui, no Sul capixaba, foi o grande vencedor do 6º Torneio do Melhor Café Fairtrade do Brasil – Taza Dorada 2020, na categoria “Conilon – Microlotes”.  Essa é a terceira vez que Luiz Cláudio vence o concurso.

Na categoria “Arábica “Microlotes”, houve empate na primeira colocação. Os melhores cafés foram de Manasses Sampaio Dias, da Associação dos Cafeicultores de Montanha de Divinolândia (Aprod), de Divinolândia (SP) e da cafeicultora Taís Silva Fernandes Miranda, da Cooperativa Agropecuária dos Produtores Orgânicos de Nova Resende e Região (Coopervitae), de Nova Resende (MG).

O concurso ainda teve a categoria “Arábica Container Cheio”, que teve duas cooperativas com a mesma pontuação em primeiro lugar. Os cafés da Cooperativa dos Produtores do Alto da Serra (ApasCoffee), de São Gonçalo do Sapucaí (MG) e da Cooperativa de Pequenos Agricultores de Santana da Vargem (Coopasv), de Santana de Vargem (MG), tiveram a nota de 84,33. Os dois microlotes da variedade arábica que venceram o concurso tiveram a nota 87,083. Já o café de Luiz Cláudio de Souza teve a nota 86,91. 

O concurso é organizado pela Coordenadora Latino-Americana e do Caribe de Pequenos Produtores e Trabalhadores do Comércio Justo (CLAC) e Associação das Organizações de Produtores Fairtrade do Brasil (BRFAIR), com apoio da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul) e da International Trade Center (ITC).

O principal objetivo do concurso é contribuir para a promoção dos cafés de Comércio Justo Fairtrade nos níveis nacional e internacional, incentivando a abertura de mercados para o produto (Café Fairtrade), favorecendo a agregação de valor e distribuição de renda, por meio da produção e comercialização de cafés de qualidade, oriundos de processos sustentáveis de produção.

Os produtores do melhores cafés nas categorias microlotes e as cooperativas vencedoras da categoria Conteiner Cheio receberão troféus e certificados. De acordo com o secretário executivo da BRFAIR, Bruno Aguiar, os lotes premiados serão enviados a vários países para trabalhar a abertura de mercado para produtos Fairtrade.

“Há a possibilidade de conseguirmos melhores preços para esses cafés premiados. Vamos trabalhar com compradores de cafés Fairtrade com esse intuito”, destacou Aguiar. Além disso, os melhores cafés serão enviados para a Café Show Seoul, realizada de 5 a 8 de novembro, em Seoul, Coreia do Sul.

Últimas notícias

Guaraná da Terra Indígena Andirá-Marau é a primeira Indicação Geográfica para povo indígena

A Terra Indígena Andirá-Marau, localizada nas divisas dos estados do Amazonas e do ...

Conab traz impacto de alta temperatura nas frutas e hortaliças comercializadas no atacado

As altas temperaturas registradas em setembro trouxeram impactos na comercialização das principais frutas ...

Ministras da Agricultura do Brasil e de Portugal debatem o papel da mulher no agronegócio

Na próxima segunda-feira, dia 26 de outubro, começa a 5ª edição do Congresso ...

Seca é registrada em 52% do Espírito Santo em setembro

A última atualização do Monitor de Secas aponta que, no Espírito Santo, as ...

Acordo de cooperação promoverá a agricultura familiar em destinos de turismo rural

Visitar um destino de turismo rural e lá saborear delícias produzidas por agricultores ...