Cafeicultor do Espírito Santo vence pela 3ª vez um concurso nacional de qualidade

Foto: Julio Huber

Julio Huber

O cafeicultor Luiz Cláudio de Souza, da Cooperativa dos Cafeicultores do Sul do Estado do Espírito Santo (Cafesul), de Muqui, no Sul capixaba, foi o grande vencedor do 6º Torneio do Melhor Café Fairtrade do Brasil – Taza Dorada 2020, na categoria “Conilon – Microlotes”.  Essa é a terceira vez que Luiz Cláudio vence o concurso.

Na categoria “Arábica “Microlotes”, houve empate na primeira colocação. Os melhores cafés foram de Manasses Sampaio Dias, da Associação dos Cafeicultores de Montanha de Divinolândia (Aprod), de Divinolândia (SP) e da cafeicultora Taís Silva Fernandes Miranda, da Cooperativa Agropecuária dos Produtores Orgânicos de Nova Resende e Região (Coopervitae), de Nova Resende (MG).

O concurso ainda teve a categoria “Arábica Container Cheio”, que teve duas cooperativas com a mesma pontuação em primeiro lugar. Os cafés da Cooperativa dos Produtores do Alto da Serra (ApasCoffee), de São Gonçalo do Sapucaí (MG) e da Cooperativa de Pequenos Agricultores de Santana da Vargem (Coopasv), de Santana de Vargem (MG), tiveram a nota de 84,33. Os dois microlotes da variedade arábica que venceram o concurso tiveram a nota 87,083. Já o café de Luiz Cláudio de Souza teve a nota 86,91. 

O concurso é organizado pela Coordenadora Latino-Americana e do Caribe de Pequenos Produtores e Trabalhadores do Comércio Justo (CLAC) e Associação das Organizações de Produtores Fairtrade do Brasil (BRFAIR), com apoio da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul) e da International Trade Center (ITC).

O principal objetivo do concurso é contribuir para a promoção dos cafés de Comércio Justo Fairtrade nos níveis nacional e internacional, incentivando a abertura de mercados para o produto (Café Fairtrade), favorecendo a agregação de valor e distribuição de renda, por meio da produção e comercialização de cafés de qualidade, oriundos de processos sustentáveis de produção.

Os produtores do melhores cafés nas categorias microlotes e as cooperativas vencedoras da categoria Conteiner Cheio receberão troféus e certificados. De acordo com o secretário executivo da BRFAIR, Bruno Aguiar, os lotes premiados serão enviados a vários países para trabalhar a abertura de mercado para produtos Fairtrade.

“Há a possibilidade de conseguirmos melhores preços para esses cafés premiados. Vamos trabalhar com compradores de cafés Fairtrade com esse intuito”, destacou Aguiar. Além disso, os melhores cafés serão enviados para a Café Show Seoul, realizada de 5 a 8 de novembro, em Seoul, Coreia do Sul.

Últimas notícias

Coops já podem enviar projetos para o PAA

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou o sistema para recebimento dos projetos ...

Selo Arte para produtos de abelhas e derivados terá início em outubro

Podem receber o Selo produtos artesanais de abelhas Apis mellifera e de abelhas ...

Você conhece a Doença de Haff? Mapa monitora casos no Brasil

Orientação é que consumidor adquira pescado com selo de inspeção oficial O Ministério ...

Fórum Café e Clima apresenta condições da produção diante dos impactos climáticos

Como os cafezais estão reagindo diante do comportamento do clima, marcado por seca, ...

Bolsonaro veta projeto sobre medidas emergenciais de amparo à agricultura familiar

Foto: Veja O presidente Jair Bolsonaro vetou um projeto de lei sobre medidas ...