Cafés produzidos na Mantiqueira de Minas recebem Denominação de Origem

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) aceitou o pedido de alteração de registro da Indicação de Procedência Região da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais para Denominação de Origem Mantiqueira de Minas, para o produto café verde em grão e café industrializado torrado em grão ou moído, conforme publicado na Revista da Propriedade Industrial (RPI) nº 2579, de 9 de junho de 2020. O pedido foi solicitado pela Associação dos Produtores de Café da Mantiqueira – APROCAM em 5 de maio de 2016.

A alteração de indicações geográficas está prevista na Instrução Normativa nº 95/2018, em seus artigos 15 a 22, possibilitando a mudança de nome geográfico e sua representação gráfica ou figurativa; a delimitação da área geográfica; o caderno de especificações técnicas; e a espécie de indicação geográfica. No entanto, devem ser mantidos os elementos característicos que justificaram a concessão do registro.

A vantagem da alteração do registro é que a indicação geográfica seja adequada à realidade dos produtores ou prestadores de serviço para ser utilizada por todos que estejam na região delimitada e cumpram as regras contidas no Caderno de Especificações Técnicas, antes denominado Regulamento de Uso.

Fonte: Centro do Comércio do Café de Minas Gerais

Últimas notícias

Especialista diz que mercado financeiro precisa acompanhar crescimento do agronegócio

Um levantamento feito em 2021 pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil ...

Tema da Semana Internacional do Café 2021 é “retomar, reencontrar, reconectar”

Depois de uma edição 100% digital histórica em 2020, a Semana Internacional do ...

Especialistas irão falar sobre a onda de títulos verdes no Brasil

A nova onda de títulos verdes que se espalha pelo setor do agro ...

Programa de treinamento para mulheres em café é lançado no Espírito Santo

Começou, na última terça-feira (19), o primeiro curso do Programa de Treinamento em ...