Ceasa realiza ações de fiscalização no entreposto de Cariacica

Caso seja identificado algum documento irregular, os comerciantes são notificados e recebem um prazo de 30 dias para regularizar a situação

A Central de Abastecimento do Espirito Santo (Ceasa/ES) iniciou, na última quarta-feira (11), uma ação de orientação e fiscalização aos produtores e comerciantes do entreposto de Cariacica. A iniciativa tem o objetivo de fiscalizar e orientar a respeito dos documentos necessários para a comercialização de produtos no mercado da Ceasa. 

Na ação, orientadores de mercado da Ceasa abordam produtores e comerciantes, conferem a regularidade da carteira do produtor e as notas fiscais dos produtos. Caso seja identificado algum documento irregular, os comerciantes são notificados e recebem um prazo de 30 dias para regularizar a situação.

De acordo com diretor-presidente, Fernando Rocha, a medida se faz necessária para um maior controle e atualização dos cadastros dos produtores que comercializam na Ceasa, bem como identificar quem ainda não se cadastrou junto à gerência de mercado.

“São 2.791 produtores cadastrados hoje no sistema da Ceasa e essa ação vai nos ajudar a verificar a realidade deste número, e se os respectivos produtores estão em dia com a sua documentação. É também foco desta iniciativa identificar os produtores rurais que ainda comercializam na Ceasa sem a documentação e encaminhá-los para a regularização”, explicou Fernando Rocha. 

O gerente de mercado, Antônio Neto, acrescenta que o trabalho que está sendo realizado, além de conferir a regularização dos produtores, também vai ajudar a identificar outras pendências ou demandas a serem sanadas pelo setor de gerência de mercado da Centrais.

O produtor rural de gengibre, batata-doce, inhame e outros, Deolino Stein, de Santa Leopoldina, um dos abordados pelos orientadores de mercado e que estava com sua documentação em dia gostou da ação. Para ele, a fiscalização é de extrema importância, tendo em vista a segurança de quem produz e comercializa na Ceasa e a solução de problemas antigos que acontecem a respeito da regularização dos produtores.

“Há dez anos comercializo meus produtos na Ceasa e já vi muita gente trabalhando de forma irregular. Essa ação traz tranquilidade para nós produtores e também ajuda em até uma melhor condição de trabalho aqui”, disse Stein. 

Fonte: Ceasa

Últimas notícias

Flores para Finados devem crescer em faturamento, mesmo com redução do volume

Mesmo diante das dificuldades de realizar previsões neste “novo normal”, a expectativa da ...

ArcelorMittal Tubarão religa seu terceiro Alto-Forno

A ArcelorMittal Tubarão religou ontem, dia 25, o seu terceiro alto-forno, cujas operações ...

Leilão da Conab adquire produtos destinados à formação de cestas básicas

Na sexta-feira (30), a partir das 9h, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ...

Cafés especiais conquistam o Brasil e o mundo

Os apreciadores de café estão cada vez mais exigentes e eles não estão ...

Concurso Fotográfico “Mãos do Café” 2020 está chegando ao fim

Esta é a última semana de votação para escolher as melhores fotos da ...