Curso gratuito ensina a criar abelhas sem ferrão

As aulas servem tanto para quem quer começar na atividade quanto para criadores que buscam aprimorar suas técnicas e encontrar novas alternativas produtivas

A Embrapa, por meio da sua plataforma digital, oferece gratuitamente o curso de meliponicultura à distância, para iniciantes na criação de abelhas sem ferrão.

Dentre os principais objetivos estão conhecer a biologia das abelhas, aprender e aprimorar as técnicas de manejo, sanar dúvidas relacionadas à biologia e ao manejo, além de possibilitar aos interessados na atividade o início de sua própria cultura, seja como forma de lazer ou fonte de renda.

Conforme Cristiano Menezes, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente e coordenador do curso, “há uma demanda muito grande de pessoas nos procurando para aprender a criar as abelhas sem ferrão e não estávamos conseguindo atender de forma adequada. Por isso resolvemos criar um curso online, bem ilustrado, com bastante informação visual e apresentado de forma bem didática”.

Cristiano destaca que as abelhas sem ferrão finalmente caíram no gosto dos brasileiros. “A maioria das pessoas nunca tinha ouvido falar delas. Nos últimos anos surgiram diversas iniciativas para divulgar a sua importância e tivemos uma atenção especial da mídia em relação às abelhas. Agora as pessoas estão descobrindo que podem criá-las em casa e produzir o próprio mel”.

Além de ajudar o meio ambiente, é uma possibilidade muito boa de ter mais contato com a natureza. E por não terem ferrão, até crianças podem se envolver com a atividade. Também está crescendo a adesão entre a população rural ou que vive em sítios, que visam obter renda adicional com a venda dos seus produtos, principalmente de colônias para atender essa demanda crescente da população.

Para essa segunda edição do curso, Cristiano explica que serão publicados dois vídeos novos ainda neste mês. Um explicando como alimentar suas colônias em situações de pouca oferta de alimento natural e outro explicando como a pessoa pode regularizar sua criação nos órgãos ambientais. Até o final do mês os vídeos estarão disponíveis na seção de “Materiais complementares” do curso e também nos canais do YouTube da Embrapa Meio Ambiente e da Associação A.B.E.L.H.A. para as pessoas que já realizaram o curso no mês passado.

O pesquisador enfatiza que hoje já temos 2 mil inscritos nessa segunda turma. Restam ainda 8.000 vagas para esse mês. No mês passado foram 15 mil inscritos.

O curso tem uma carga horária total de 12 horas e o participante possui até 30 dias para concluí-lo a partir da data de inscrição. As vagas já estão abertas e são limitadas.

Você pode se inscrever por aqui.

Fonte: Embrapa

Últimas notícias

Edição 2020 da Corrida e Caminhada do Café será virtual

Atletas podem enviar registros de corridas em qualquer lugar para a organização do ...

Clima em setembro preocupa produtores de tomate estaqueado

O plantio do tomate estaqueado, ou tomate de mesa, já foi realizado nas ...

Egípcios exportam alho ao Brasil

Brasil abriu seu mercado de alho para o Egito no ano passado e ...

Biofortificação aumenta em 16 vezes o teor de zinco nas folhas de alface

Aplicação de fertilizante de baixo custo também pode fortalecer a renda do produtor  ...

Acerola é um dos alimentos mais ricos em vitamina C

Fruta pequena de cor vermelha e formato arredondado, a acerola tem um sabor ...