ES: vacinação contra febre aftosa será em maio para animais com até 24 meses

Foto: Wenderson Araujo

O Espírito Santo será o único estado do Brasil a vacinar bovinos e bubalinos com idade até 24 meses em maio

Diante das preocupações com a pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou orientações sobre procedimentos e cuidados para que a vacinação contra a febre aftosa ocorra sem colocar em risco a saúde dos produtores rurais e dos representantes dos serviços veterinários oficiais.

Na maioria dos estados, a primeira etapa da campanha nacional de vacinação para imunização de bovinos e bubalinos de todas as idades será realizada de 1º a 31 de maio, com a possibilidade de extensão do prazo, conforme pleito da CNA. O Espírito Santo será o único estado do Brasil a vacinar bovinos e bubalinos com idade até 24 meses neste período.

“Para isso, foi acordado como o Mapa que as Federações da Agricultura, em parceria com os serviços veterinários estaduais, precisam enviar um ofício à Superintendência Federal de Agricultura (SFA) nos estados, para avaliação”, disse o assessor técnico da Comissão Nacional de Bovinocultura de Corte da CNA, Ricardo Nissen.

Conforme discutido em reuniões, o Mapa permitirá que os estados do Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe realizem a imunização durante o mês de junho. O posicionamento da CNA era de que a etapa nesses estados se iniciasse em 1º de maio e finalizasse em 30 de junho, dando maior prazo para os produtores e serviços de defesa. Porém, os gestores dos órgãos de defesa estaduais optaram pela restrição da etapa aos 30 dias de junho.

Na Bahia, a imunização seguirá o calendário inicial, em maio. O estado de Goiás solicitou antecipação da vacinação em 11 dias, com provável início para o dia 20 de abril.

Ainda conforme o Mapa, a etapa está suspensa nos estados do Paraná, Rondônia e Acre, além de parte do Amazonas e de Mato Grosso. No Rio Grande do Sul houve antecipação para os meses de março e abril.

Além das modificações no calendário, com intuito de garantir a segurança dos pecuaristas durante a pandemia do Covid-19, não será exigido o comparecimento nos escritórios dos serviços veterinários estaduais para a preenchimento das declarações de comprovação da vacinação. O procedimento poderá ser realizado, preferencialmente, por meio não presencial (sistemas informatizados, correio eletrônico ou outras soluções a distância).

Caso não seja possível, a comunicação presencial poderá ser postergada para um prazo a ser pactuado com o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no estado ou no Distrito Federal.

“Para o produtor a manutenção da etapa de vacinação é muito importante, haja vista que estamos em processo de adequação para um novo status sanitário e devemos cumprir nossos acordos comerciais internacionais. Ao mesmo tempo, as medidas de segurança durante a vacinação assegurarão a não exposição do produtor ao coronavírus”, afirmou Ricardo Nissen.

Veja o Calendário Nacional 2020 AQUI.

Fonte: Senar/ES

Últimas notícias

Cursos de tratorista e cultivo de cacau exclusivos para mulheres

Registro de ação do projeto “Mulheres do Cacau” com produtoras rurais As mulheres estão ...

Mapa destrói 58 mil garrafas de azeite de oliva fraudado

Foi a maior apreensão já realizada pelo Ministério da Agricultura no país desde ...

Campanha pretende estimula consumo do produto no país

Tema foi debatido durante reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite ...

Conab afirma que clima prejudica oferta de hortaliças e frutas no país

Quem procura preços baixos no atacado terá que aguardar mais um pouco até ...

Congresso Brasil-Alemanha de Inovação acolhe também o tema de sustentabilidade

Um dos eventos mais tradicionais do ecossistema brasileiro de inovação e o maior ...