Estudantes conversam com representantes de cooperativas de Santa Maria de Jetibá

O cooperativismo é uma filosofia de vida que já faz parte da rotina dos alunos da Cooperativa Educacional Centro-Serrana (Escola Cooperação), localizada em Santa Maria de Jetibá. E neste mês de setembro, o tema tem ganhado ainda mais força durante as aulas, com uma atividade desenvolvida com a turma do 5º ano da unidade educacional. Para aprenderem mais sobre como funciona esse modelo de negócios, os estudantes estão tendo a oportunidade de conversar com representantes de diversas cooperativas da região.

De acordo com a professora Elisângela Lemke Hauch, que vem realizando a ação, a ideia surgiu como uma forma de dinamizar os encontros virtuais. Com o advento da pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), a cooperativa adaptou os encontros para o formato on-line. Com isso, a unidade escolar vem procurando formas diferentes e envolventes que colaborem diretamente com o processo de ensino-aprendizagem, por meio de iniciativas diferenciadas.

A primeira convidada para o bate-papo foi a pequena Lavínia, que é aluna da instituição e presidente da Cooperativa Mirim de Santa Maria de Jetibá (CooperJetibá). “Essa foi a nossa primeira escolha porque, possivelmente, os nossos alunos já poderão ser cooperados da cooperativa no próximo ano”, contou a professora. Na oportunidade, Lavínia falou um pouco sobre a história do cooperativismo e da cooperativa da qual faz parte.

Ao longo do mês de setembro, os encontros seguiram com o presidente da Cooperativa de Transportes da Região Serrana (Coopetranserrana), Luis Krauze; com o diretor administrativo da Cooperativa Agropecuária Centro Serrana (Coopeavi), Ederson Jacob; com a diretora operacional do Sicoob Centro-Serrano, Jaqueline Timm Domingos; com a diretora pedagógica da Cooperação, Amanda Schulz Wruck; e com o presidente da Cooperativa dos Agricultores Familiares da Região Serrana do Espírito Santo (CAF Serrana), Selene Hammer Tesch.

Segundo Elisângela, o momento foi marcado pela riqueza de informações e compartilhamento de conhecimentos. “Mandamos ofício para os convidados e combinamos que seria uma conversa breve, de mais ou menos 20 minutos. Mas os nossos alunos foram tão participativos que nenhum bate-papo durou menos de uma hora. E foi muito bacana, porque todos os representantes se colocaram à disposição tirar todas as dúvidas”, contou.

O momento também serviu para ajudar os alunos a pensarem ações para o futuro. “Tivemos o caso de uma de nossas alunas perguntando o que era preciso fazer para criar uma cooperativa, porque ela quer ser dentista no futuro e abrir uma cooperativa com outros dentistas”, comentou.

Os encontros virtuais foram o primeiro passo dessa atividade. Após o fim das conversas com os representantes, os alunos vão gravar vídeos sobre o tema que serão utilizados nas aulas de cooperativismo com os estudantes do 1º ao 4º ano.

Fonte: OCB/ES

Últimas notícias

Senar abre cursos técnicos sobre agronegócio e fruticultura

Termina no próximo dia 27 as inscrições para cursos técnicos de agronegócio e ...

Pêssegos com tecnologia da Embrapa ganham mercados no Hemisfério Norte

Há duas safras, produtores brasileiros de pêssego têm aproveitado um intervalo de produção ...

Safra de café em 2021 poderá ter redução de até 30,5%, segundo Conab

Foto: Julio Huber Julio Huber A safra de café no Brasil para 2021 ...

Produção de queijos é a segunda maior em agroindústrias do Espírito Santo

A produção de queijos está entre as modalidades mais lucrativas para a agricultura ...

Cooperativa cria moeda digital para troca de café por mercadorias

Empresa adotou o Dynamics para o gerenciamento do Coffee Coin, bem como para ...