Formigas, vespas e fungos no controle de pragas do cafezal

O controle biológico é um método de combater pragas agrícolas por meio da utilização de seus inimigos naturais, que podem ser insetos predadores, parasitoides ou microorganismos. A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) estuda estratégias diversificadas de manejo para o controle de pragas em diferentes culturas, dentre elas o café.

Uma das formas avaliadas é o controle biológico conservativo, que utiliza plantas espontâneas (não cultivadas) na atração dos inimigos naturais. “A técnica consiste em usar plantas preferencialmente nativas para fornecer pólen, néctar, abrigo, enfim, tudo que é necessário para aumentar as populações desses inimigos naturais”, destaca a coordenadora do Programa de Pesquisa em Agroecologia da EPAMIG Madelaine Venzon.

Pesquisas realizadas no município de Araponga, na Zona da Mata Mineira, avaliam o plantio consorciado de café com plantas que possuem nectários extraflorais (estruturas produtoras de néctar que não estão diretamente relacionadas à polinização), como o ingá. O estudo orientado por Madelaine, indica que, próximas às árvores de ingá, as plantas de café são mais protegidas contra o ataque de pragas como broca e bicho mineiro.

Foto: Madelaine Venzon

Néctar produzido pelo ingá atrai inimigos naturais das pragas

“Os resultados na Zona da Mata têm sido bastante promissores. Na região, utilizamos um espaçamento médio 20 metros, e agora estamos realizando testes em outras regiões como o Cerrado Mineiro”, explica a pesquisadora, que completa “a importância da pesquisa está em demonstrar que os nectários extraflorais de uma planta podem proteger também as plantas vizinhas”.

O uso de insetos e fungos no combate a pragas também é avaliado. Trabalhos realizados na Zona da Mata com predadores como formigas, vespas, parasitoides e fungos têm se mostrado eficazes para o combate do bicho mineiro e da broca do café.

Madelaine esclarece que em algumas situações o controle biológico precisa ser combinado com o químico. “Especialmente, em áreas de monocultura. Entretanto em culturas como cana-de-açúcar e soja, os resultados do uso exclusivo de controle biológico têm sido bastante favoráveis”, informa.

A EPAMIG lançou, no último ano, edição do Informe Agropecuário sobre Tecnologias para o manejo sustentável de pragas e doenças. Além disso, publicações gratuitas estão disponíveis para download no site da Empresa.

Fonte: Epamig

Últimas notícias

Idaf tem trabalho aprovado em Encontro Capixaba de Pesquisa em Educação Ambiental

O encontro é organizado pela Ufes em parceria com o Iema O Instituto ...

Ifes abre inscrições para mestrado em Agroecologia

São ofertadas 12 vagas e o início das aulas está previsto para março ...

Laboratório de aquicultura marinha fortalecerá pesquisas no país

Visão em 3D do projeto do Lapimar Foram reiniciadas, esta semana, as obras ...

Brasil registra 31 defensivos agrícolas genéricos, com quatro produtos biológicos

Com a publicação, 2020 soma 60 produtos de baixo impacto registrados. Esse é ...

ATENÇÃO: chuva forte e rajadas de vento atingem a Grande Vitória e municípios do interior capixaba

A chuva forte prevista pela Coordenação de Meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, ...