Governo acelera trâmites para antecipar liberações do Funcafé

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Diante do cenário de pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e das consequentes medidas de isolamento adotadas, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) atendeu a uma solicitação do Conselho Nacional do Café (CNC) e vem dando celeridade aos trâmites para que a liberação de recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) seja antecipada para maio na safra 2020/21.

Em contato com os membros do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), representantes do Mapa informaram que as ações adotadas após a reunião do colegiado, em 13 de março, como a aprovação da Resolução nº 4.789 pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), abrem espaço para a antecipação da liberação do capital. Na ocasião, foi definido o orçamento do Funcafé para 2020 e a chamada pública para agentes interessados em operar os recursos e a Portaria SPA/MAPA nº 13, com os critérios de distribuição do Fundo entre as instituições.

Para o presidente do CNC, Silas Brasileiro, o Mapa tem sido sensível às necessidades da cafeicultura brasileira em meio a esse cenário de exceção vivido em função da Covid-19. “A ministra Tereza Cristina e sua equipe têm demonstrado, como governo, uma sensibilidade ímpar ao agro como um todo, em especial ao café. As iniciativas adotadas até o momento serão fundamentais para que o setor tenha um cenário de menor risco com o início dos trabalhos de colheita”, destaca.

Segundo ele, no entanto, para que seja possível a disponibilização dos recursos do Funcafé até o final de maio, resta que o setor defina os juros para as operações. Na safra 2019/20, as taxas foram prefixadas em até 7,0% ao ano para as linhas de Custeio e Comercialização e até 9,5% anuais para Aquisição de Café e Capital de Giro, com a remuneração do Fundo fixada em 4%.

“As decisões sobre as taxas de juros na área econômica do governo são tomadas juntamente com a definição do Plano Agrícola e Pecuário, o que, ao longo dos anos, ocorre somente em junho. Como o cenário atual exige maior celeridade para que tenhamos a antecipação até o final de maio, os membros do CDPC foram consultados pelo Mapa se estão de acordo com a manutenção das taxas para respaldar as negociações da área agrícola com o setor econômico do governo”, argumenta.

O presidente do CNC revela que a orientação da entidade é para que seus representantes no Comitê Técnico e no CDPC se manifestem favoráveis à medida. “Historicamente, o Funcafé sempre trabalhou com juros bastante competitivos. Os níveis atuais são aceitáveis e, diante da premência de contarmos com recursos já no começo da colheita, precisamos dar o respaldo ao governo”, comenta.

A antecipação dos recursos do Fundo para maio é vista por Brasileiro como uma conquista “para toda a cadeia”, caso consolidada. “A liberação antecipada do Funcafé permitirá que o produtor conte com recursos em tempo hábil para cobrir a sua folha de pagamento semanal com o início da colheita, haja vista que os preços praticados nas últimas safras os deixaram descapitalizados, bem como ordenar o fluxo da safra, podendo negociar seu produto nos momentos mais oportunos do mercado”, conclui.

Fonte: CNC

Últimas notícias

Coops já podem enviar projetos para o PAA

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou o sistema para recebimento dos projetos ...

Selo Arte para produtos de abelhas e derivados terá início em outubro

Podem receber o Selo produtos artesanais de abelhas Apis mellifera e de abelhas ...

Você conhece a Doença de Haff? Mapa monitora casos no Brasil

Orientação é que consumidor adquira pescado com selo de inspeção oficial O Ministério ...

Fórum Café e Clima apresenta condições da produção diante dos impactos climáticos

Como os cafezais estão reagindo diante do comportamento do clima, marcado por seca, ...

Bolsonaro veta projeto sobre medidas emergenciais de amparo à agricultura familiar

Foto: Veja O presidente Jair Bolsonaro vetou um projeto de lei sobre medidas ...