Lei que prevê maior rigor na segurança de barragens é sancionada

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quinta-feira (1), uma lei que proíbe o uso de barragens pelo método a montante, o mesmo usado nas barragens de Mariana e Brumadinho, que se romperam e vitimaram mais de 250 pessoas.

De acordo com a lei, que aumenta as exigências para as mineradoras quanto à segurança de barragens, as empresas que adotam esse tipo de estrutura, a montante, têm até 25 de fevereiro de 2022 para desmontá-las. O descumprimento da regra pode gerar multas administrativas de até R$ 1 bilhão.

Além disso, o infrator pode sofrer advertência e até perder os direitos de exploração mineral. A nova lei também exige que as empresas notifiquem os órgãos fiscalizadores, ambientais, e de defesa civil, quando qualquer alteração das condições de segurança da barragem possa, eventualmente, causar acidente ou desastre.

O texto inclui as áreas degradadas por acidentes ou desastres ambientais entre aquelas que têm prioridade para receber recursos do Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA).

Fonte: Brasil 61

Últimas notícias

Produção de queijos é a segunda maior em agroindústrias do Espírito Santo

A produção de queijos está entre as modalidades mais lucrativas para a agricultura ...

Cooperativa cria moeda digital para troca de café por mercadorias

Empresa adotou o Dynamics para o gerenciamento do Coffee Coin, bem como para ...

Capixabas investem em negócios inusitados e conquistam mercado internacional

Criada pelo empreendedor André Scampini, a aguardente Cacahuatl já teve amostras enviadas para ...

Cafés especiais proporcionam experiências sensoriais aos consumidores

Os amantes de café sabem que a bebida pode ter inúmeros sabores e ...

Normas para produção integrada de folhosas entram em vigor em fevereiro

O objetivo é garantir segurança e qualidade desses alimentos a partir da aplicação ...