Municípios capixabas receberam alerta para a possível invasão de javaporcos

Julio Huber

Autoridades de diversos municípios do Espírito Santo, que fazem divisa com Minas Gerais, estão em alerta para uma possível invasão de javaporcos em propriedades rurais. Integrantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) têm percorrido municípios capixabas do Noroeste para informar a respeito da preocupação com a chegada desses animais selvagens.

No mês passado, 32 javalis e javaporcos, que eram criados em uma propriedade entre Morro do Pilar e Santana do Riacho, na Região Central de Minas Gerais, foram apreendidos durante uma operação.

De acordo com representantes do Ibama, havia alto risco de fuga dos animais e de invasão ao Parque Nacional da Serra do Cipó e da Área de Proteção Ambiental (APA) Morro da Pedreira.

Trazidos da Europa, Ásia e Norte da África para o consumo de sua carne, há mais de 100 anos, vários javalis conseguiram escapar de seus recintos e passaram a cruzar com porcos domésticos.

Os javaporcos se transformaram em uma ameaça que invade os campos e as florestas brasileiras, espanta animais nativos, pisoteia nascentes, come plantas e destrói lavouras.

Nesta semana, representantes do Ibama se reuniram com a secretária municipal de Meio Ambiente de Barra de São Francisco, Lislei Moreira Batista. Ela informou que não é para os moradores entrarem em pânico, mas reforçou a preocupação com a invasão desses animais.

“O Ibama está preocupado, porque a quantidade desses animais é grande. Eles podem atacar as pessoas e por onde passam podem destruir plantações”, afirmou ela. Além de Barra de São Francisco, a secretária disse que equipes dos municípios de Água Doce do Norte, Ecoporanga e Mantenópolis também já se reuniram com representantes do Ibama.

“Eles não sabem quando esses animais vão chegar, mas eles deram uma certeza que isso vai acontecer. Uma hora eles vão chegar a nossa região com alguém trazendo ou por conta própria”, relatou Lislei.

O Ibama informou aos representantes dos municípios capixabas que o foco onde esses animais se encontram é na região Sul do Minas Gerais, por isso essas cidades capixabas estão sendo alertadas para esse risco de invasão.

Últimas notícias

Especialista diz que mercado financeiro precisa acompanhar crescimento do agronegócio

Um levantamento feito em 2021 pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil ...

Tema da Semana Internacional do Café 2021 é “retomar, reencontrar, reconectar”

Depois de uma edição 100% digital histórica em 2020, a Semana Internacional do ...

Especialistas irão falar sobre a onda de títulos verdes no Brasil

A nova onda de títulos verdes que se espalha pelo setor do agro ...

Programa de treinamento para mulheres em café é lançado no Espírito Santo

Começou, na última terça-feira (19), o primeiro curso do Programa de Treinamento em ...