Nova praga ataca pastagens em diversos Estados brasileiros

Uma nova praga tem causado danos nas pastagens em formação, conhecida como pulguinha-do-arroz (Chaetocnema sp.), que tem sido frequentemente relatada em diversos estados. A praga é um besouro de formato arredondado, liso, preto e brilhante que ataca plantas no início do desenvolvimento de várias cultivares. Em 1996, foi identificado pela primeira vez no Acre, e desde 2014 os relatos são mais recorrentes.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Acre, Rodrigo Santos, o inseto se alimenta de várias espécies vegetais, como cana-de-açúcar, milho, trigo e arroz (polífago). A pulguinha-do-arroz adulta remove o tecido da epiderme, o que causa manchas esbranquiçadas nas folhas, um dano severo que pode causar a morte da forrageira, enquanto as larvas ficam no solo alimentando-se das raízes.

“O ataque acontece em fase crítica de desenvolvimento da planta, há um considerável desgaste e algumas podem não se recuperar. Além disso, algumas espécies são também transmissoras de viroses para as plantas jovens, mas não há certeza se a espécie reportada no Acre transmite essas doenças”, afirma Rodrigo.

Os danos causados nas pastagens podem ser da morte de algumas plantas até a perda total da semeadura, como aconteceu com o produtor rural do município de Bujari (AC), Rafael Mamud.

“A primeira vez aconteceu, há quatro anos, eu perdi a semente que joguei, não conhecia a praga e perdi tudo, tive que semear novamente. Eu percebi quando o capim estava com cinco centímetros e começou a ficar amarelada e morreu. Quando aconteceu da segunda vez, eu usei o inseticida recomendado pelo engenheiro-agrônomo, dando um efeito sistêmico e deu certo”, explica o produtor rural.

MÉTODOS DE CONTROLE – Por ser uma praga nova, ainda não há estratégia de controle bem definida para a pulguinha-do-arroz, nem produtos registrados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mas existem técnicas que podem ser utilizadas para diminuir o ataque.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Acre, Carlos Maurício de Andrade, o produtor deve monitorar o pasto que está sendo reformado, durante as primeiras semanas após o plantio, para observar se há sintomas de ataque para identificação da praga.

“O que temos recomendado aos pecuaristas é uma forma preventiva de controle, para que escolham sementes tratadas com inseticidas registrados para pastagens para tentar minimizar o problema do ataque”, afirma o pesquisador.

Andrade também indica consultar um engenheiro-agrônomo, caso seja detectado alta incidência de ataque dessa praga. O profissional vai recomendar um inseticida aprovado para a aplicação nas pastagens após uma verificação na área e no nível da incidência.

Para Rodrigo Santos, pesquisas devem ser realizadas para averiguar a eficiência desses métodos de controle nas condições climáticas nos diferentes Estados brasileiros. “Para reduzir o ataque dessa praga, recomenda-se o aumento da taxa de semeadura em até 30% para aumentar a chance de plantas viáveis em seu estande. Existem cerca cinco insetos por planta, apesar de ser um inseto minuto, é possível ver a olho nu, facilitando o monitoramento do plantio”, explica.

PESQUISA – Em 1996, o inseto foi verificado no estado do Acre por Murilo Fazolin em arroz de sequeiro. Desde 2014, a pulguinha-do-arroz tem sido observada nas pastagens, principalmente na época de reforma. De acordo com Rodrigo, em 2019 foi instalado um experimento no Campo Experimental da Embrapa Acre para observar o ataque da praga em plantas novas de pastagem.

“Foram coletadas espécies in loco, com o auxílio de um aspirador entomológico e enviadas para identificação ao taxonomista Luciano Moura, do Museu de Ciências Naturais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura em Porto Alegre (RS)”, explica o pesquisador.

A Embrapa Acre publicou um estudo sobre a pulguinha-do-arroz em 2020, chamado “Pulguinha-do-Arroz (Chaetocnema sp.) (Coleoptera: Chrysomelidae): Nova Praga de Pastagens no Estado do Acre” e está disponível para leitura e download no Portal da Unidade. Confira aqui.

Fonte: Ministério da Agricultura

Últimas notícias

Exportações do agronegócio batem recorde para setembro, com US$ 10,1 bilhões

O complexo soja e as carnes foram destaques nas exportações do mês, registrando ...

Lançadas as primeiras variedades de batata coloridas do Brasil

Chegam ao mercado nacional as primeiras variedades de batata coloridas desenvolvidas no Brasil ...

Cooperativa lança plataforma com o maior acervo digital do agro

A Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus) coloca no ar hoje (15), a maior ...

ONGs incentivam mudança no prato para sistema alimentar mais sustentável

Criado para refletir sobre a realidade da fome, da segurança alimentar e nutricional ...

Minas Gerais deve ter a menor produção de café dos últimos 12 anos

A produção total de café beneficiado em Minas Gerais deve cair 38,1% neste ...