Produtores começam a podar pés de goiaba no Espírito Santo

Os produtores de goiaba do Polo Baixo São Rafael, do Programa Municipal de Fruticultura de Linhares, no Norte do Espírito Santo, iniciaram a fase de poda de produção, processo importante para o sucesso da colheita. A projeção é colher aproximadamente 150 toneladas da fruta na primeira safra, prevista para o período de abril a novembro de 2021.

O secretário Municipal de Agricultura, Franco Fiorot, informou que a fase de poda de produção foi escalonada, sendo divida em duplas de produtores. “Adotamos essa estratégia para que os produtores consigam produzir durante o ano todo e para, consequentemente, gerar mais renda. A equipe técnica da Secretaria de Agricultura tem conduzido todo esse processo e temos recebido relatos importantes sobre a expectativa para início da safra e sobre expandir a produção”, disse o secretário.

A previsão é chegar ao ano de 2023 produzindo em média 450 toneladas da fruta nos 10 hectares de área, onde são cultivadas pelos 23 produtores participantes em torno de 6,5 mil mudas. Antes de iniciar a chegada da fase de produção, os produtores passaram por vários treinamentos e foram feitas algumas podas para formação da planta.

O produtor Édio Ramos Shmit, de Lagoa Terra Alta, em Córrego Doutor Jones, no distrito de São Rafael, pontuou que está satisfeito com seu plantio. “Tenho plantas com até 40 frutos por pé e estou satisfeito, pois acredito que vou colher uma boa quantidade de goiaba. Estou até pensando em plantar mais um pouco, porque além de vender para o mercado, como estou mexendo com feira, quero vender lá também”, disse o produtor que afirmou estar acompanhando o cronograma técnico de plantio do Programa Municipal de Fruticultura.

O empresário e consultor na área de Fruticultura, Erli Röpke, que tem feito treinamento técnico dos produtores e técnicos, junto à Secretaria de Agricultura, pontuou que a poda foi escalonada a cada três semanas e que, se associada às orientações que constam no protocolo de manejo entregue aos produtores – que inclui informações sobre poda, adubação e controle de pragas e doenças -, é garantida produção durante todo ano.

“A fase da poda de produção determina um período certo para a colheita, mesmo que a planta seja muito jovem. As três primeiras podas são de formação da planta e o produtor já começa a colher frutos. Na primeira poda/safra, que começa agora em abril, a previsão é colher de 15 a 25 quilos por planta até dezembro, quando inicia a segunda, com expectativa de 25 a 35 quilos, seguida da terceira com 60 quilos por planta. Em 2023, na quarta rodada, com a planta adulta, a produção deve chegar a 120 quilos de frutos por planta por ano. Todo esse processo de produção é garantia de mercado, gerando assim renda ao produtor durante todo ano”, explicou o especialista em goiaba.

Fonte: Prefeitura de Linhares

Últimas notícias

Produto para suínos será apresentado durante live da Favesu

Foto: Sidney Dalvi A preparação para a 6ª Feira de Avicultura e Suinocultura ...

Áreas de seca aumentam em janeiro no Espírito Santo

 A última atualização do  Monitor de Secas aponta que no Espírito Santo, em janeiro, ...

Lavouras de soja apresentam bom desempenho nas áreas produtoras

As condições das lavouras de soja melhoraram após um começo de temporada marcado ...

Avicultura do Mato Groso renova seguro pioneiro no Brasil

Foto: Julio Huber A Associação Matogrossense de Avicultura (AMAV-MT) renovou seguro avícola do ...

Pesquisadores elaboram dicionário das características sensoriais do chá-mate

Grupo avaliou amostras de chá de diferentes regiões do Brasil para definir 39 ...