Produtores começam a podar pés de goiaba no Espírito Santo

Os produtores de goiaba do Polo Baixo São Rafael, do Programa Municipal de Fruticultura de Linhares, no Norte do Espírito Santo, iniciaram a fase de poda de produção, processo importante para o sucesso da colheita. A projeção é colher aproximadamente 150 toneladas da fruta na primeira safra, prevista para o período de abril a novembro de 2021.

O secretário Municipal de Agricultura, Franco Fiorot, informou que a fase de poda de produção foi escalonada, sendo divida em duplas de produtores. “Adotamos essa estratégia para que os produtores consigam produzir durante o ano todo e para, consequentemente, gerar mais renda. A equipe técnica da Secretaria de Agricultura tem conduzido todo esse processo e temos recebido relatos importantes sobre a expectativa para início da safra e sobre expandir a produção”, disse o secretário.

A previsão é chegar ao ano de 2023 produzindo em média 450 toneladas da fruta nos 10 hectares de área, onde são cultivadas pelos 23 produtores participantes em torno de 6,5 mil mudas. Antes de iniciar a chegada da fase de produção, os produtores passaram por vários treinamentos e foram feitas algumas podas para formação da planta.

O produtor Édio Ramos Shmit, de Lagoa Terra Alta, em Córrego Doutor Jones, no distrito de São Rafael, pontuou que está satisfeito com seu plantio. “Tenho plantas com até 40 frutos por pé e estou satisfeito, pois acredito que vou colher uma boa quantidade de goiaba. Estou até pensando em plantar mais um pouco, porque além de vender para o mercado, como estou mexendo com feira, quero vender lá também”, disse o produtor que afirmou estar acompanhando o cronograma técnico de plantio do Programa Municipal de Fruticultura.

O empresário e consultor na área de Fruticultura, Erli Röpke, que tem feito treinamento técnico dos produtores e técnicos, junto à Secretaria de Agricultura, pontuou que a poda foi escalonada a cada três semanas e que, se associada às orientações que constam no protocolo de manejo entregue aos produtores – que inclui informações sobre poda, adubação e controle de pragas e doenças -, é garantida produção durante todo ano.

“A fase da poda de produção determina um período certo para a colheita, mesmo que a planta seja muito jovem. As três primeiras podas são de formação da planta e o produtor já começa a colher frutos. Na primeira poda/safra, que começa agora em abril, a previsão é colher de 15 a 25 quilos por planta até dezembro, quando inicia a segunda, com expectativa de 25 a 35 quilos, seguida da terceira com 60 quilos por planta. Em 2023, na quarta rodada, com a planta adulta, a produção deve chegar a 120 quilos de frutos por planta por ano. Todo esse processo de produção é garantia de mercado, gerando assim renda ao produtor durante todo ano”, explicou o especialista em goiaba.

Fonte: Prefeitura de Linhares

Últimas notícias

Incaper lança sistema eletrônico de avaliação de sustentabilidade da cafeicultura

Foto: Divulgação Incaper A sustentabilidade na cafeicultura é um dos ideais que norteiam ...

Inscrições para coordenação de pesquisa sobre peixes começam na segunda-feira (24)

As inscrições para a seleção de coordenador de projeto de pesquisa do Instituto ...

Venda Nova do Imigrante é destaque em projeto de qualificação do turismo rural

A rota de Agroturismo em Venda Nova do Imigrante foi validado pelo Ministério ...

Café: números da exportação demonstram a força da produção

Com a recente divulgação dos dados de exportação do café brasileiro fica claro ...

Batata apresenta queda de preços enquanto cebola sobe nas Centrais de Abastecimento

Um dos tubérculos mais utilizados na culinária brasileira, a batata apresentou oferta recorde ...