Quais os efeitos do clima nas principais regiões produtoras de grãos?

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou a edição de junho do Boletim de Monitoramento Agrícola (BMA). O estudo mostra que nas primeiras semanas do mês os acumulados de chuva foram maiores nas regiões Norte e Sul, além das faixas leste e norte da região Nordeste. O tempo seco predominou nas demais áreas do país, o que favoreceu a maturação e a colheita dos cultivos de segunda safra.

Ainda de acordo com o estudo, foi observada a redução das temperaturas em todo o Brasil em razão da proximidade da estação climática de inverno, além da ocorrência de geadas nos estados da região Sul e parte das regiões Sudeste e Centro-Oeste. Contudo, isso não acarretou em danos significativos para os cultivos de segunda safra e inverno.

O documento mostra também que, no período em análise, é possível verificar a baixa umidade do solo principalmente no oeste e norte da Bahia, no norte e noroeste de Minas Gerais e centro-norte de Goiás, além do centro-sul de Tocantins, sul do Maranhão, sudoeste do Piauí, da faixa leste de Mato Grosso, do norte de Mato Grosso do Sul e do noroeste de São Paulo. Isso significa que as lavouras em estágios reprodutivos ficaram sob restrição hídrica nessas regiões.

Por outro lado, foi observada boa disponibilidade hídrica nas regiões Sul, Sealba e parte sul dos estados de MS e SP, o que favoreceu o desenvolvimento dos cultivos de segunda e terceira safra e de inverno. Devido ao excedente hídrico, a semeadura dos cultivos de inverno foi suspensa em algumas localidades da região Sul.

Com relação ao acompanhamento do índice de vegetação, apesar das restrições hídricas, a semeadura antecipada do milho segunda safra permitiu que as lavouras se desenvolvessem de forma similar ou melhor que as últimas safras na maioria das regiões monitoradas.

Atualmente o índice de vegetação está em queda nas principais regiões produtoras de milho segunda safra, devido à maturação das lavouras. Nas principais regiões produtoras de cultivos de inverno, predominam os baixos valores do índice de vegetação, demonstrando o início da semeadura. De forma geral, persiste uma expectativa de boa produtividade.

BMA – é resultado da parceria entre a Conab, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Grupo de Monitoramento Global da Agricultura (Glam). O estudo fornece informações sobre as condições agrometeorológicas e a interpretação do comportamento das lavouras em imagens de satélites e no campo. Essas informações servem como subsídios para a realização das estimativas de safra realizadas pela Companhia, todos os meses.

Clique aqui para acessar esta edição do Boletim na íntegra. 

Fonte: Conab

Últimas notícias

Concurso de Qualidade de Amêndoas de Cacau Capixaba chega à etapa de visita das propriedades

As visitas às 12 propriedades classificadas na 6ª edição do Concurso de Qualidade ...

Festival Aracruz Sabores começa nesta quinta-feira (11)

Foto: Arquivo Secom / Aracruz O evento vai reunir sabores, cerveja artesanal, vinhos, ...

Método simples e barato monitora qualidade da água em viveiros de tilápias

Photo: Gabriel Pupo Nogueira Cientistas utilizam bentônicos, organismos invertebrados indicadores de qualidade da ...

Produção de cacau volta a crescer no Brasil, após controle de vassoura-de-bruxa e outras doenças

Foto: Shutterstock Composition with cocoa pod and products on wooden background, top view ...

Setor de distribuição de insumos está apreensivo com os desafios deste ano

Foto: iStock “O setor de distribuição de insumos agrícolas, que comemorou um 2021 ...