Recebimentos de embalagens vazias de defensivos agrícolas voltam a funcionar

Foi retomado, em todo o Brasil, o recebimento de embalagens vazias de defensivos agrícolas. A informação é do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV), entidade operadora do Sistema Campo Limpo, que é o programa brasileiro de logística reversa de embalagens vazias e sobras pós-consumo de defensivos agrícolas.

A recomendação do inpEV é de que as unidades de recebimento dessas embalagens retornem a trabalhar com plena capacidade. “Depois de criteriosa avaliação durante os 30 dias em que o Sistema trabalhou com operação reduzida para combater a disseminação da Covid-19, o Instituto concluiu que pode retomar as atividades integrais de forma segura”, explica o diretor-presidente do inpEV, João Cesar M. Rando.

A natureza da operação e os cuidados adicionais adotados mostram que é possível trabalhar, mantendo a segurança e a saúde das pessoas. Durante o período em que operou com 50% de sua capacidade, desde 24 de março, não houve ocorrência confirmada de contaminação por coronavírus nas unidades de recebimento.

“As atividades de logística reversa são realizadas em regiões distantes dos centros de convivência social (zonas rurais ou industriais) e os postos de trabalho dos operadores nas unidades já são afastados um do outro. Além disso, não há aglomerações, já que o procedimento de devolução das embalagens é feito com um agricultor por vez”, afirma Rando.

O Instituto recomenda ainda a adoção de medidas adicionais:

  • Funcionamento das unidades com portões fechados, reduzindo o risco de aglomerações;
  • Uso de máscaras por todos os colaboradores das unidades;
  • Orientação aos agricultores e seus prestadores de serviços sobre os cuidados adotados pelas unidades em relação à covid-19. Os motoristas são orientados a permanecer nas cabines dos automóveis durante a operação de descarregamento das embalagens vazias;
  • Envio preferencial por via eletrônica dos recibos de devolução;
  • Disponibilização de álcool em gel nas unidades;
  • Disponibilização de máscaras para uso pelos colaboradores no deslocamento entre trabalho e casa;
  • Realização diária de diálogo de segurança sobre a covid-19 com os colaboradores;
  • Desinfecção diária do ambiente de trabalho com uso de produtos de limpeza virucidas, como água sanitária;
  • Uso de ambientes comuns, como vestiário e refeitório, em rodízio e mantendo-se distância mínima de 2 metros.

Para garantir a adequação do funcionamento do Sistema Campo Limpo, o inpEV permanecerá acompanhando a evolução do cenário de disseminação da covid-19. “Reafirmamos nosso integral compromisso com a excelência nas atividades de logística reversa de embalagens de defensivos agrícolas, bem como com o bem-estar e a saúde de nossos colaboradores, do meio ambiente e da sociedade em geral”, enfatiza Rando.

Últimas notícias

Rastreabilidade do gado atende às exigências do mercado europeu e proporciona maior rentabilidade aos pecuaristas

O mercado internacional de carne bovina está em crescimento. Segundo o USDA, serão ...

Cinco plantas para melhorar a energia do lar

Elas servem para perfumar, embelezar e até mesmo para alimentar. Mas o que ...

Oeste da Bahia vai ampliar cultivo de cereais e pode ajudar autossuficiência do Brasil

A triticultura da região oeste da Bahia pode contribuir na busca por autossuficiência ...

Mundo digital é uma oportunidade de negócios no agro

O agronegócio avançou fortemente em termos de digitalização durante a pandemia do novo ...

Estudantes realizam ação de reflorestamento em Colatina

A atividade foi coordenada pelo Núcleo de Educação Ambiental e Agroecologia Estudantes e ...