Reunião virtual discute e valida zoneamento para milho no Rio de Janeiro e Espírito Santo

Uma reunião online, no dia 24 de junho (quarta), às 14h, vai fazer a validação dos estudos de zoneamento agrícola de risco climático para a cultura do milho – 1a safra – nos estado do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Com participação de corpo técnico do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Embrapa, o eventos é destinado a produtores rurais, consultores técnicos, gestores públicos, representantes de entidades de pesquisa e ensino, de bancos, de cooperativas e do setor privado.

A reunião contará ainda com a presença da chefe geral da Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ), Petula Ponciano, que fará a abertura. A metodologia do Zarc e os dados para as regiões serão apresentados pelo pesquisador Fernando Macena, da Embrapa Cerrados (Planaltina, DF). 

“As reuniões de validação servirão para atualizar as datas de semeadura com menor risco climático para a cultura do milho, além de orientar os produtores para a escolha dos melhores tipos de solo quanto à capacidade de armazenamento de água e das variedades mais resilientes e adaptadas para cada região, contribuindo para a racionalização do crédito agrícola”, explica Macena.

As informações validadas servirão de base para relatórios que serão elaborados pelos pesquisadores da área de agroclimatologia da Embrapa e encaminhados ao Comitê Gestor do Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Embrapa.

O comitê fornecerá as informações ao Mapa para que seja publicada uma portaria disciplinando o Zarc para o milho 1a safra nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

METODOLOGIA – Desenvolvido pela Embrapa e parceiros, o Zarc é um método aplicado no Brasil por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que proporciona a indicação de datas ou períodos de plantio/semeadura por cultura e por município, considerando as características do clima, o tipo de solo e ciclo de cultivares, de forma a evitar que adversidades climáticas coincidam com as fases mais sensíveis das culturas, minimizando as perdas agrícolas.

Esse instrumento possibilita aos bancos públicos e os programas federais de seguro agrícola a oferta de linhas de financiamento e contratos de seguro para o plantio pelos produtores. 

Acesso a programas governamentais

Para ter acesso ao Proagro, ao Proagro Mais e à subvenção federal ao prêmio do seguro rural, o produtor deve observar as recomendações desse pacote tecnológico. Além disso, alguns agentes financeiros já estão condicionando a concessão do crédito rural ao uso do zoneamento.

No Brasil, mais de 40 culturas já foram contempladas com o Zarc. A ferramenta é utilizada em apoio à tomada de decisão para o planejamento e a execução de atividades agrícolas, para políticas públicas e para a seguridade agrícola, as principais culturas agrícolas brasileiras já estão contempladas no zoneamento.

Para participar basta acessar o link da tranmissão: conferenciaweb.rnp.br/webconf/zarc

Fonte: Embrapa

Últimas notícias

Casal de pecuaristas reduz gastos com Assistência Técnica do Senar-ES

A assistência ajudou a melhorar o gerenciamento do negócio Os pecuaristas leiteiros de ...

Feira Segura atende mais de 56 mil consumidores de 10 estados

O projeto Feira Segura, desenvolvido pelo Sistema CNA/Senar para viabilizar a continuidade de feiras ...

Empresa de Singapura confirma fábrica de café solúvel em Linhares

Executivos da Olam Internacional anunciou seu terceiro e maior investimento no Espírito Santo: ...

Presidente da Conab morre vítima da Covid-19

O diretor-presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), José Samuel de Miranda Melo ...

Valor do mercado de defensivos agrícolas aplicados recua 10,4% em 2020

Tractor spraying soybean field at spring O mercado de defensivos agrícolas teve redução ...