Sebrae vai fazer diagnóstico de 110 potenciais indicações geográficas até o final do ano

Diversas regiões brasileiras com produtos e serviços típicos estão sendo identificadas por meio dessa ferramenta

O Sebrae irá realizar até o fim do ano, um levantamento de 110 regiões em todo o país, com potencial para conquistarem o reconhecimento oficial como Indicações Geográficas (IG). Até agora, foram realizados os diagnósticos em 79 regiões, a maioria delas voltadas para o agronegócio. Atualmente, o Brasil possui 70 IG registradas, localizadas principalmente no Sul e Sudeste, onde estão cerca de 60% delas. Devido à diversidade cultural e ambiental do nosso país, há potencial para que mais regiões brasileiras busquem esse reconhecimento.

A IG constitui em um ativo de propriedade industrial estratégico na proteção e na promoção de áreas geográficas vinculadas a produtos e serviços específicos. Ao serem reconhecidas, os produtores vinculados a essas IG podem perceber a agregação de valor aos seus produtos e serviços, maior acesso a mercados diferenciados, aumento do fluxo de turistas, dentre outros benefícios.

A maior parte das Indicações Geográficas é formada pelos pequenos negócios, segundo levantamento do Sebrae. O reconhecimento de uma IG, no Brasil, é obtido por meio de registro no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).  Hoje o país possui Indicações Geográficas em vários setores, como vinhos, artesanatos, cafés, queijos, frutas, entre outros.

“Estamos fazendo o diagnóstico de Norte a Sul do país, a partir da demanda dos pequenos negócios. Levantamos estudos e informações disponíveis, conversamos com os produtores e parceiros, analisamos a governança local, verificamos a aderência com a estratégia e visão de futuro dos produtores. O diagnóstico de potencial IG é a primeira etapa no apoio do Sebrae às Indicações Geográficas”, comenta a analista do Sebrae, Raquel Minas, que também tem o apoio das unidades regionais da instituição.

Uma das potenciais IG diagnosticadas foi o tambaqui do Vale do Jamari, em Rondônia. Com a comprovação do potencial, a região já está se preparando para iniciar a fase de estruturação da IG, com apoio do Sebrae Rondônia e parceiros.

Em Querência do Norte, no Paraná, o ginseng brasileiro é um dos produtos que também apresentou potencial para obter o registro de Indicação Geográfica. O Sebrae diagnosticou que a área tem potencial para a modalidade de Denominação de Origem (DO). O ginseng brasileiro é uma planta utilizada na fabricação de medicamentos para o tratamento de algumas doenças. Em seu diagnóstico, o Sebrae avalia que a região possui as características geomorfológicas que propiciariam uma planta com formato e coloração características daquela área.

Para conhecer mais sobre o trabalho do Sebrae com Indicações Geográficas, clique aqui.  

Fonte:  Sebrae

Últimas notícias

Mapa e Ministério da Economia atendem a pleito do CNC e encontram caminhos para o pagamento do Brasil à OIC

As gestões realizadas pelo Conselho Nacional do Café (CNC), junto ao Governo Federal, ...

Fruticultura brasileira ganha mais um aliado no combate à mosca das frutas

Nova especificação de referência traz ingrediente ativo inédito para monitoramento e controle de ...

Novas normas de identidade e qualidade para bebidas não alcoólicas entram em vigor em junho

A regulamentação traz novas possibilidades de inovação ao criar a categoria de bebida ...

Setor de carnes do Brasil será representado em uma das maiores feiras de alimentos da China

Em um período estratégico para o fortalecimento de negócios com o mercado asiático, ...

Webinar debate mudanças da educação de crianças e jovens sobre o agronegócio

Incentivar os estudantes a conhecer o agro, ensinar o quão valoroso é o ...