Selo SIM amplia perspectiva de mercado para produtos da agroindústria

A implementação do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) no município de Guaçuí tem mudado para melhor a perspectiva de mercado para produtores do município. Atualmente, oito estabelecimentos estão registrados no SIM e podem comercializar seus produtos, oferecendo segurança sanitária e qualidade. O selo está vinculado à Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Semag).

Entre estes empreendimentos, está o Queijo do Tão, do Córrego das Pedras, de Eliane Maria Freitas de Faria e Sebastião Moreira de Faria. Ela afirma que o registro no Serviço de Inspeção Municipal lhe permitiu oferecer a garantia da qualidade na venda, o que, segundo Eliane, começou com o investimento na pasteurização do leite.

“O produto tem uma maior validade para consumo, sem estragar. Assim, eu posso fazer uma maior quantidade de queijo, o que não era possível antes, porque não dava para utilizar nem 220 litros de leite. Hoje, posso usar até mil litros”, afirma.

Mel e queijos são alguns dos produtos de empreendedores de Guaçuí

Eliane contou que quando o leite não é pasteurizado, o queijo pode ficar com uma maior acidez. “O queijo feito com o leite pasteurizado só trouxe mais elogios de nossos clientes. Aqueles que entendem o que é o selo, sua importância, confiam mais para comprar o produto, e isso aumentou minha quantidade de fregueses”, completa.

A produtora disse que o processo de produção, hoje, é mais trabalhoso, mas compensa seguir as regras para ter o SIM. “Eu não coloco conservante na manteiga e ela dura, na geladeira, até dois meses. Já o queijo, se a pessoa souber curar fora da geladeira, pode durar até seis meses, sem estragar, por causa da pasteurização do leite, além da higiene, que é muito importante”, explica. Ela destacou a produção aumentou umas quatro vezes, e consequentemente aumentaram as vendas.

Já para Sandra Oliveira Silveira, do Arbaas Mel, do Sítio Meu Rincão, do Córrego Santo Antônio, o SIM teve importância significativa, porque abriu portas para mais vendas. Ela e Anderson Araújo Silveira vendem a produção no município de Guaçuí.

O Arbaas Mel, de Sandra Oliveira, fica no Sítio Meu Rincão, em Córrego Santo Antônio

“Apesar de ficarmos limitados ao município, hoje vendemos para estabelecimentos que, antes do SIM, não compravam nosso produto. Por causa dessa valorização e melhora nas vendas, já demos a entrada nos documentos para conseguimos o selo para vendermos em todo o Estado, e falta só virem fazer a vistoria”, adianta. Ela contou que o SIM também nos abriu portas para a participação em eventos, como a Feira dos Sabores, em Vitória, além de feiras em Cachoeiro de Itapemirim e também em Guaçuí.

Outros empreendimentos

Além destes dois empreendimentos, também estão registrados, no SIM de Guaçuí: Mel Gravel e o Queijo Gravel, de José Henrique Gravel; Apiários Moura Barreto, de José Sebastião Faria de Carvalho; Frango Fort, de Ivan da Silva Moreira; Supermercado Assis, de José Márcio de Assis e Queijos Colina, de Edvan da Silva Moreira.

Para fazer o registro da agroindústria no SIM, o produtor precisa preencher um requerimento, solicitando registro no Serviço de Inspeção Municipal, para que seja feito o Laudo de Vistoria Inicial, além de entregar uma planta baixa ou croqui das construções, memorial econômico e sanitário do estabelecimento, cópia do Contrato Social ou Estatuto Social da firma, CNPJ, CPF e RG.

O SIM é responsável pela inspeção e fiscalização da produção industrial e sanitária dos produtos de origem animal, comestíveis e não comestíveis, adicionados ou não de produtos vegetais, preparados, transformados, manipulados, recebidos, acondicionados, depositados e em trânsito no município de Guaçuí. Além disso, tem diversas atribuições, desde inspecionar e fiscalizar estabelecimentos, realizar o registro e ate emitir auto de infração, entre outras.

Atribuições do Serviço de Inspeção Municipal (SIM)

  • Inspecionar e fiscalizar os estabelecimentos de produtos de origem animal e seus produtos;
  • Realizar o registro sanitário dos estabelecimentos de produtos de origem animal e seus produtos;
  • Proceder a coleta de amostras de água de abastecimento, matérias-primas, ingredientes e produtos para análises fiscais;
  • Notificar, emitir auto de infração, apreender produtos, suspender, interditar ou embargar estabelecimentos, cassar registro de estabelecimentos e produtos; levantar suspensão ou interdição de estabelecimentos;
  • Realizar ações de combate a clandestinidade.

Fonte: PMG

Últimas notícias

Palestra aborda tendências inovadoras para o turismo das montanhas capixabas

A pandemia trouxe diversas mudanças no comportamento do consumidor e todos os setores ...

Laboratório de leite do Idaf recebe credenciamento oficial

Após anos de trabalho e dedicação, o Laboratório de Análise da Qualidade do ...

Apenas três municípios do Espírito Santo estão em risco amarelo no Mapa Covid-19

O Governo do Estado anunciou, ontem (18), o 23º Mapa de Risco Covid-19, ...

Demanda de frete rodoviário no agronegócio tem incremento de mais de 10%

Segundo o Índice de Fretes e Pedágios Repom (IFPR), a demanda por frete ...

Preço do arroz deve permanecer entre R$ 5 e R$ 7 até março do ano que vem

Um dos alimentos mais consumidos na mesa dos brasileiros sofreu um aumento de ...