Testes de Covid-19 a base de maconha serão usados em profissionais de saúde

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizará nos próximos meses a maior pesquisa já feita no país para avaliar os efeitos da cannabis no tratamento de transtornos de humor. Os testes serão feitos em 300 enfermeiros e médicos que trabalham na linha de frente do enfrentamento à Covid-19.

A pesquisa foi aprovada nesta semana pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos (CEPSH) da universidade. Os estudos vão seguir critérios científicos rigorosos entre eles a utilização de placebo. Nem os pesquisadores nem os voluntários saberão se vão receber o medicamento a base de cannabis ou uma substância sem nenhum efeito.

Os medicamentos à base de maconha serão produzidos Associação Brasileira de Apoio a Cannabis Esperança (ABRACE), localizada em João Pessoa (PB). O recrutamento ocorrerá durante o mês de julho e os testes começam em agosto.

Estudo sugere que cannabis pode proteger do Covid-19

Já pesquisadores do Canadá compartilharam um estudo em que apontam que princípios ativos da maconha podem proteger as células do corpo humano contra o novo coronavírus. Em artigo no site Preprints.org, a equipe de estudiosos sugere que componentes químicos da uma variedade de cannabis reduziriam a capacidade do vírus de chegar até as células pulmonares.

Em conversa ao portal alemão DW, Igor Kovalchuck, professor de ciências biológicas da Universidade de Lethbridge (a pesquisa é feita em associação com a Pathway RX, uma empresa focada no desenvolvimento de terapias personalizadas de cannabis), disse que os resultados relativos à Covid-19 se originam em estudos com outros focos, como artrite e câncer.

Ele explicou que foi observado que canabinoides mudariam a enzima receptora do Sars-cov-2 no corpo humano, tornando-o menos vulnerável ao vírus e reduzindo o risco de infecção. O cientista contou que eles utilizaram espécies da Cannabis sativa com alto teor de canabidiol.

A pesquisa ainda não foi submetido a avaliação por outros estudiosos, para que seja confirmada ou refutada. Também ao DW, Kovalchuck assegurou que o canabidiol seria um “complemento” no tratamento da Covid-19, mas que não excluiria outros métodos.

Fonte: Brasil 61 e Abrace Esperança

Últimas notícias

Sustentabilidade no agronegócio é tema de webinar

Nesta quarta-feira (23), o Webinar BW TALKS recebe dois especialistas no agronegócio para tratar da ...

Agrofloresta diversifica produção e gera mais renda para a Agricultura Familiar

Sistema permite colheita o ano todo de diferentes culturas alimentares, enquanto produtor aguarda ...

Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha abre inscrições para as provas de velocidade

Haras Raphaela, em Tietê (SP), sediará competições do Quarto de Milha em quatro ...

Brasil exporta primeira carga de melão para China após acordo bilateral

Esta é a primeira fruta fresca brasileira exportada para o mercado chinês A ...

Edição 2020 da Corrida e Caminhada do Café será virtual

Atletas podem enviar registros de corridas em qualquer lugar para a organização do ...