Consumo mundial de café deve ultrapassar 168 milhões de sacas no ano-cafeeiro 2019-2020

Estimativas apontam crescimento de 0,3% do consumo global no período 2019-2020 em relação ao anterior

A estimativa do consumo mundial de café no ano-cafeeiro 2019-2020 é de 168,39 milhões de sacas de 60kg, o que representa um crescimento de 0,3% em relação ao ano-cafeeiro anterior, que foi de 167,84 milhões de sacas. A demanda crescente no início da pandemia global devido ao maior consumo em casa, agora apresenta uma estabilidade devido à prolongada crise econômica e à lenta recuperação do consumo fora de casa.

Com relação à produção mundial, estima-se que o ano-cafeeiro 2019-2020 atinja o volume de 169,34 milhões de sacas, número que representa uma redução de 2,2% se comparado ao ano-cafeeiro anterior. A estimativa é uma redução de 5% na produção de café arábica que deve atingir o volume físico de 96 milhões de sacas, enquanto que para o café robusta a previsão é de um aumento de 1,9%, alcançando 73 milhões de sacas produzidas. 

Com exceção da Ásia & Oceania onde está previsto um aumento de 2,2% na produção de café, atingindo 50,92 milhões de sacas de 60kg, estão previstas quedas na produção em todas as outras regiões. A África deve ter uma ligeira redução de 0,2% e atingir 18,83 milhões de sacas, enquanto na América Central & México a redução prevista é de 4,6% chegando a 20,73 milhões de sacas. Por fim, na América do Sul, maior região produtora de café do mundo, a queda é estimada em 4,6% com o volume de produção final em torno de 78,87 milhões de sacas de 60kg.

Em relação à América do Sul, verifica-se que na Colômbia está previsto um aumento de 1,7% da produção que deve atingir 14,1 milhões de sacas de 60kg, ao passo que no Brasil,  maior produtor mundial, a queda prevista é de 10%, reduzindo o volume de produção para em torno de 58 milhões de sacas de 60kg no ano-safra 2019-2020. O principal motivo dessa forte queda na produção brasileira é a bienalidade negativa do café arábica que deverá ter uma redução de 17,4% e fechar com 37,12 milhões de sacas, já que a produção de café Robusta deve ter um aumento de 3,4% e atingir 20,88 milhões de sacas.

Os dados aqui apresentados de performance da produção, consumo e exportação de café constam do Relatório sobre o mercado de Café – agosto 2020, da Organização Internacional do Café – OIC, instituição representativa da cafeicultura mundial da qual o Brasil é país-membro, e que congrega 76 países produtores e consumidores de café, bem como administra o Acordo Internacional do Café, que encontra-se publicado na íntegra no Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Adicionalmente, vale esclarecer que o ano-cafeeiro da OIC compreende o período de outubro a setembro.

Finalmente, com respeito às exportações, o Relatório da OIC informa que as exportações globais de café nos dez primeiros meses do presente ano-cafeeiro foram de 106,59 milhões de sacas de 60kg, volume que representa uma redução 5,3% se comparado com o mesmo período do ano passado.

Fonte: Embrapa Café

Últimas notícias

Um município capixaba entra em risco alto e 49 estão em risco moderado para Covid-19

Julio Huber O novo mapa de risco para Covid-19 (coronavírus) foi divulgado na ...

Homens são presos saindo de mata com animal abatido

Dois homens foram detidos em flagrante enquanto saiam de uma mata com uma ...

Seca e calor devem afetar próximas duas safras de café no Brasil

Foto: Julio Huber Em reunião virtual realizada na última segunda-feira (30), os conselheiros ...

Polícia identifica desmate ilegal e apreende pássaros em Santa Maria de Jetibá

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) constatou desmatamento com corte seletivo de ...

Quais as recomendações para viabilizar os canaviais transgressivos?

Os canaviais transgressivos são viáveis para a canavicultura brasileira. O caminho que leva ...