Consumo mundial de café deve ultrapassar 168 milhões de sacas no ano-cafeeiro 2019-2020

Estimativas apontam crescimento de 0,3% do consumo global no período 2019-2020 em relação ao anterior

A estimativa do consumo mundial de café no ano-cafeeiro 2019-2020 é de 168,39 milhões de sacas de 60kg, o que representa um crescimento de 0,3% em relação ao ano-cafeeiro anterior, que foi de 167,84 milhões de sacas. A demanda crescente no início da pandemia global devido ao maior consumo em casa, agora apresenta uma estabilidade devido à prolongada crise econômica e à lenta recuperação do consumo fora de casa.

Com relação à produção mundial, estima-se que o ano-cafeeiro 2019-2020 atinja o volume de 169,34 milhões de sacas, número que representa uma redução de 2,2% se comparado ao ano-cafeeiro anterior. A estimativa é uma redução de 5% na produção de café arábica que deve atingir o volume físico de 96 milhões de sacas, enquanto que para o café robusta a previsão é de um aumento de 1,9%, alcançando 73 milhões de sacas produzidas. 

Com exceção da Ásia & Oceania onde está previsto um aumento de 2,2% na produção de café, atingindo 50,92 milhões de sacas de 60kg, estão previstas quedas na produção em todas as outras regiões. A África deve ter uma ligeira redução de 0,2% e atingir 18,83 milhões de sacas, enquanto na América Central & México a redução prevista é de 4,6% chegando a 20,73 milhões de sacas. Por fim, na América do Sul, maior região produtora de café do mundo, a queda é estimada em 4,6% com o volume de produção final em torno de 78,87 milhões de sacas de 60kg.

Em relação à América do Sul, verifica-se que na Colômbia está previsto um aumento de 1,7% da produção que deve atingir 14,1 milhões de sacas de 60kg, ao passo que no Brasil,  maior produtor mundial, a queda prevista é de 10%, reduzindo o volume de produção para em torno de 58 milhões de sacas de 60kg no ano-safra 2019-2020. O principal motivo dessa forte queda na produção brasileira é a bienalidade negativa do café arábica que deverá ter uma redução de 17,4% e fechar com 37,12 milhões de sacas, já que a produção de café Robusta deve ter um aumento de 3,4% e atingir 20,88 milhões de sacas.

Os dados aqui apresentados de performance da produção, consumo e exportação de café constam do Relatório sobre o mercado de Café – agosto 2020, da Organização Internacional do Café – OIC, instituição representativa da cafeicultura mundial da qual o Brasil é país-membro, e que congrega 76 países produtores e consumidores de café, bem como administra o Acordo Internacional do Café, que encontra-se publicado na íntegra no Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Adicionalmente, vale esclarecer que o ano-cafeeiro da OIC compreende o período de outubro a setembro.

Finalmente, com respeito às exportações, o Relatório da OIC informa que as exportações globais de café nos dez primeiros meses do presente ano-cafeeiro foram de 106,59 milhões de sacas de 60kg, volume que representa uma redução 5,3% se comparado com o mesmo período do ano passado.

Fonte: Embrapa Café

Últimas notícias

Senar lança cursos gratuitos de drones e inseminação artificial. Inscreva-se!

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou três cursos de curta duração, ...

Especialistas do Brasil e exterior debatem mercado halal

O fórum de negócios Global Halal Brazil ocorre na próxima semana e terá ...

Estados Unidos mudam regras para ingresso de cães procedentes do Brasil

Os animais que chegam de países classificados como de alto risco para raiva, ...

Entidades afirmam que caso das búfalas de Brotas foge à regra dos produtores

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) publicou ...

Cadeia produtiva do leite é destaque em novo Boletim da Agricultura Familiar da Conab

Já está disponível, no site da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a publicação ...