Capixabas investem em negócios inusitados e conquistam mercado internacional

Criada pelo empreendedor André Scampini, a aguardente Cacahuatl já teve amostras enviadas para os EUA, Portugal, Bélgica e Suíça

De acordo com os dados divulgados pela Junta Comercial do Espírito Santo (Jucees), no total, 13.994 novas empresas foram abertas em 2020. Por ser um ano tão difícil, os números surpreendem e mostram que muitos capixabas estão buscando no empreendedorismo uma nova fonte de renda. Uma outra pesquisa que mostra o nível nacional de negócios pelo país intitulada “Índice Mackenzie de Liberdade Econômica Estadual (IMLEE) de 2020, mostra que, de uma escala de zero até 10, o Espírito Santo foi dos 7,79 pontos de 2019 para 8,34 em 2020.

Com o aumento no número de novos negócios na região, muitos empreendedores decidiram investir em produtos e serviços diferenciados para conseguir se destacar da concorrência, como é o caso de André Scampini. Natural de Vitória (ES), Scampini sempre gostou do universo das bebidas, até que encontrou um curso online que explicava como criar sua própria marca de destilado sem muitas complicações.

O então profissional de TI começou a pensar sobre como colocar em prática o sonho de ter uma aguardente diferenciada no mercado. “Meu sogro tem uma produção de cacau, então minha esposa decidiu me desafiar e disse se eu era capaz de agregar ainda mais valor ao cacau”, explica o empreendedor. Foi então que ele teve uma ideia inusitada: produzir uma aguardente usando sobras de cacau.

“O município de Linhares, no ES, é responsável por 85% da produção de cacau do estado. No entanto, apenas parte do fruto é aproveitada para a produção da matéria prima do chocolate: a amêndoa de cacau”, afirma Scampini. Batizada de Cacahuatl (“suco amargo” no idioma Asteca), a aguardente já teve amostras enviadas para os EUA, Portugal, Bélgica, Suíça, e esteve presente em três feiras na Alemanha. Atualmente sua produção é terceirizada por um alambique em Linhares, ES.

“Para quem está pensando em abrir o próprio negócio, o ideal é sempre pesquisar sobre como está o mercado, quais são os segmentos que estão em alta, o que já está saturado e paciência para encarar possíveis imprevistos e contratempos”, finaliza o empreendedor.

Fonte: Notícia Expressa

Últimas notícias

Ufes obtém registro de nova cultivar de café conilon com alto teor de cafeína

A Ufes obteve o registro de mais uma cultivar de café conilon no ...

Promoção de cafés especiais do Brasil em Dubai pode render US$ 23,4 milhões

Ação coordenada pela BSCA levou 19 empresas brasileiras à World of Coffee, que ...

Vinícolas gaúchas promovem atrações para celebrar a colheita da uva

Crédito: Renato Soares/MTur Tem início a temporada da Vindima no Sul do país ...

Parceria prevê US$ 100 milhões para projetos de redução das emissões de metano

Para secretário de Inovação do Mapa, Fernando Camargo, iniciativa pode ajudar países a ...

Valor da contribuição mensal do MEI vai aumentar em fevereiro

Os microempreendedores individuais devem ficar atentos ao reajuste na contribuição mensal, que passa ...