Contratos futuros do café se recuperam no mercado internacional

Com fundamentos inalterados, cotações seguem oscilando com base em fatores técnicos e no dólar

Os contratos futuros do café seguem dentro de intervalo recente, oscilando com base em fatores técnicos e no dólar. Nesta semana, o movimento foi de recuperação, à medida que a divisa norte-americana se desvalorizou frente ao real.

Não há alterações nos fundamentos, com os atores certos de uma menor oferta global da commodity em 2021, em especial por perdas no Brasil, que está em seu ciclo de baixa na bienalidade do café arábica.

Também há registros de perdas em nações cafeeiras da América Central, em função da passagem dos furacões Eta e Iota, e de possibilidade de quebra no Vietnã por causa de tufões que afetaram o país asiático.

Na Bolsa de Nova York, o vencimento mar/21 ascendeu 365 pontos no acumulado da semana até ontem, quando encerrou o pregão a US$ 1,2735 por libra-peso. Na ICE Europe, o vencimento jan/21 do robusta fechou a US$ 1.324 por tonelada, acumulando alta de US$ 14 ante a sexta-feira passada.

O dólar encerra a semana acumulando três quedas consecutivas, negociado a R$ 5,2097, o que implica desvalorização semanal de 3,8% até o fechamento de ontem. A moeda recuou devido ao fluxo externo e à expectativa do anúncio do novo pacote fiscal do presidente eleito dos EUA, Joe Biden.

Na noite de quinta-feira (14), Biden anunciou o Plano de Resgate da América, que disponibilizará US$ 1,9 trilhão para aplicação em medidas de apoio direto aos mais diretamente impactados pela crise da Covid-19. Esse montante corresponde a aproximadamente 9% do PIB norte-americano.

Em relação ao clima, a Somar Meteorologia aponta manutenção de temporais em grande parte dos Estados de São Paulo e Minas Gerais neste fim de semana. Há, ainda, risco de vendavais, grandes volumes acumulados, queda de granizo, além da possibilidade de inundações e deslizamentos de terra entre São Paulo, Minas e Rio de Janeiro.

No mercado físico, o café arábica registrou, ontem, seu maior valor nominal na série histórica do indicador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), que teve início em 1996. A variedade foi cotada a R$ 638,60/saca, avançando 2,1% na semana. O conilon caiu 0,5% no intervalo, valendo R$ 412,82/saca.

Fonte: CNC

Últimas notícias

Produto para suínos será apresentado durante live da Favesu

Foto: Sidney Dalvi A preparação para a 6ª Feira de Avicultura e Suinocultura ...

Áreas de seca aumentam em janeiro no Espírito Santo

 A última atualização do  Monitor de Secas aponta que no Espírito Santo, em janeiro, ...

Lavouras de soja apresentam bom desempenho nas áreas produtoras

As condições das lavouras de soja melhoraram após um começo de temporada marcado ...

Avicultura do Mato Groso renova seguro pioneiro no Brasil

Foto: Julio Huber A Associação Matogrossense de Avicultura (AMAV-MT) renovou seguro avícola do ...

Pesquisadores elaboram dicionário das características sensoriais do chá-mate

Grupo avaliou amostras de chá de diferentes regiões do Brasil para definir 39 ...