Exportações de açúcar, milho, café e celulose crescem em novembro

As vendas externas do agronegócio resultaram em US$ 7,94 bilhões no mês

As vendas externas do complexo sucroalcooleiro (açúcar e álcool), milho, café verde e produtos florestais (celulose e madeiras) tiveram crescimento acentuado, em novembro deste ano, de acordo com a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os dez principais produtos de exportação do agronegócio brasileiro, em novembro, foram: milho (US$ 878,36 milhões; +27,6% e 4,9 mil t); açúcar de cana em bruto (US$ 765,39 milhões; +62,9% e 3 mil t); carne bovina in natura (US$ 738,52 milhões; -1,9% e 168 mil t); café verde (US$ 577,68 milhões; +41,9% e 276 mil t); farelo de soja (US$ 553,13 milhões; +32% e 1,4 milhão t); celulose (US$ 551,11 milhões; +19% e 1,5 milhão t); soja em grãos (US$ 541,80 milhões; -70% e 1,5 milhão t); algodão não cardado nem penteado (US$ 500,10 milhões; +21,3% e 333 mil t); carne de frango in natura (US$ 448,59 milhões; -12,1% e 334 mil t); carne suína in natura (US$ 188,54 milhões; +36,2% e 76 mil t).

Quanto às vendas externas de milho, segundo a análise da SCRI, cresceram 19,1% em novembro, atingindo um recorde 4,9 milhões de toneladas para os meses de novembro. O volume recorde agregado ao aumento de 7,1% no preço médio de exportação do grão gerou receitas de US$ 878,36 milhões com as exportações

Houve também um intenso aumento do volume exportado de açúcar na comparação com o mesmo mês de 2019, com expansão de 60,7%, atingindo 3,09 milhões de toneladas exportadas em novembro de 2020 ao preço médio de US$ 291 por tonelada (semelhante ao de 2019). Dessa forma, o valor exportado de açúcar subiu para US$ 900,93 milhões. O país que mais importou açúcar foi a China, com a compra de US$ 131,45 milhões de açúcar brasileiro (+721,6%).

O café teve expansão de 37,7% das vendas externas, equivalente a alta de US$ 170,61 milhões em valores absolutos.

O principal produto de exportação, em novembro, do complexo florestal foi a celulose, com um volume recorde de 1,48 milhão de toneladas (+21,6%). Embora o volume sido significativo, a queda dos preços internacionais impediu um aumento maior do valor exportado, ficando em US$ 551,11 milhões (+19%). Ainda no setor, as exportações de madeiras e suas obras somaram US$ 356,96 milhões (+22,1%) e as papel foram de US$ 143,49 milhões (-2%).

COMPLEXO SOJA – As vendas externas do complexo soja (grão, farelo e óleo) recuaram 50,6%, passando de US$ 2,24 bilhões em novembro de 2019 para US$ 1,11 bilhão em novembro de 2020. De acordo com a SCRI, o principal fator da queda está relacionado à antecipação das exportações nos primeiros meses do ano.

O volume exportado de janeiro a novembro e os baixos estoques da soja em grão no Brasil fizeram com que a quantidade passasse de quase 5 milhões de toneladas, em novembro de 2019, para 1,47 milhão de toneladas em novembro de 2020, queda de 70,3%. O valor exportado de soja em grão caiu de US$ 1,81 bilhão em novembro de 2019 para US$ 541,80 milhões em novembro de 2020 (-70%).

As exportações de farelo de soja subiram de US$ 418,93 milhões, em novembro de 2019, para US$ 553,13 milhões, em novembro de 2020 (32%). A quantidade exportada do produto foi recorde: 1,41 milhão de toneladas. As vendas externas de óleo de soja recuaram 23,3%, atingindo US$ 13,57 milhões.

No acumulado, de janeiro a novembro, os embarques da soja em grão representou US$ 28,48 bilhões (14,5%), alcançando o recorde de 82,75 milhões de toneladas (16,9%). A China foi o destino de 73,4% das exportações brasileiras de soja em grão em 2020, com US$ 20,90 bilhões.

BALANÇA COMERCIAL – As exportações do agronegócio resultaram em US$ 7,94 bilhões em novembro deste ano, queda de 1,5% em relação a novembro do ano passado (US$ 8,06 bilhões). O valor exportado foi impactado pela queda de 2,3% no índice de preços dos produtos de exportação. Por outro lado, houve elevação de 0,9% no índice de quantum das exportações, abrandando a diminuição dos preços médios de exportação.

O agronegócio teve 45,3% de participação nas exportações totais brasileiras (US$ 17,53 bilhões). As importações de produtos do agronegócio subiram 22,1% na comparação entre novembro de 2019 e novembro de 2020, passando de US$ 1,08 bilhão para US$ 1,31 bilhão.

Fonte: Mapa

Últimas notícias

Definidas condições para liberação de linha de crédito para cafeicultores atingidos por geadas

O Voto será submetido ao Conselho Monetário Nacional, para em seguida disponibilizar essa ...

Congresso das Mulheres do Agronegócio terá debate sobre “Bioeconomia” e a relação entre o progresso econômico e o meio-ambiente

Mesa-redonda reunirá representantes de diferentes elos da cadeia produtiva para discutir os melhores ...

Exportações do agronegócio batem recorde para setembro, com US$ 10,1 bilhões

O complexo soja e as carnes foram destaques nas exportações do mês, registrando ...

Lançadas as primeiras variedades de batata coloridas do Brasil

Chegam ao mercado nacional as primeiras variedades de batata coloridas desenvolvidas no Brasil ...

Cooperativa lança plataforma com o maior acervo digital do agro

A Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus) coloca no ar hoje (15), a maior ...