Fortalecer economia rural e promover a saúde são os princípios do Programa AlimentarES

Oferecer alimentos saudáveis na mesa de quem precisa e, ao mesmo tempo, gerar renda para os agricultores de base familiar do Espírito Santo são os objetivos do Programa AlimentarES. A iniciativa foi lançada nesta quinta-feira (25) pelo governador Renato Casagrande e pela vice-governadora Jaqueline Moraes, em solenidade virtual transmitida pelas redes sociais.

O AlimentarES pretende distribuir, até o fim do ano, 5.500 cestas verdes com alimentos saudáveis produzidos por agricultores familiares capixabas. As cestas verdes serão complementares aos donativos distribuídos pelo Programa ES Solidário, melhorando a qualidade nutricional das cestas ofertadas.

O governador Renato Casagrande destacou a importância da continuidade dos programas sociais durante a pandemia. “Uma crise como esta que estamos vivendo atinge diretamente os mais pobres. Precisamos criar uma proteção social e econômica, realizando ações como esta, que compra alimentos saudáveis dos agricultores familiares do Estado. Ofertar esses alimentos neste momento, em que as pessoas mais vulneráveis adquirem somente o básico, é importante para que possam manter uma alimentação saudável. Fortalecendo também nossos agricultores que também vivem um período de redução de produção”, explicou.

O governador Renato Casagrande e a vice-governadora Jaqueline Moraes lançaram o programa em solenidade virtual transmitida pelas redes sociais

Estruturada de forma intersetorial, a atuação da Rede AlimentarES vai beneficiar, além das famílias contempladas com as cestas de alimentos, cerca de mil agricultores que atuarão como fornecedores. Além disso, o projeto visa conscientizar os capixabas sobre a importância do consumo de alimentos saudáveis, evidenciando os valores nutricionais dos alimentos e seus benefícios à saúde.

Articuladora da iniciativa, a vice-governadora Jaqueline Moraes ressaltou a importância da união de forças no enfrentamento aos desafios impostos pelo novo coronavírus (Covid-19). “Estamos unindo quem produz e recebe pelo trabalho àqueles que precisam receber o alimento com qualidade e valor nutricional para somar nas defesas do organismo. O Espírito Santo não parou com a pandemia e estamos encontrando caminhos, através das políticas públicas e da criação coletiva deste governo, em que a saúde e a solidariedade estão sendo fortalecidas. São esses os nossos valores e também os valores deste programa”, afirmou.

O AlimentarES será desenvolvido em três etapas, sendo a primeira de formação, por meio de parceria, de uma rede de organizações para atuar nas esferas de educação nutricional, produção, distribuição e consumo de alimentos saudáveis. A segunda etapa consiste no desenvolvimento de uma campanha educativa sobre a importância do consumo de alimentos saudáveis e nutricionais como forma de enfrentamento aos impactos gerados pela pandemia. A etapa final realiza a aquisição e distribuição de alimentos, por meio da doação de cestas com alto valor nutricional.

A secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, reforçou a importância da iniciativa: “O Programa AlimentarES é de grande importância porque, além de levar educação alimentar às famílias capixabas, promoverá a compra de cestas verdes dos pequenos agricultores, fomentando a agricultura familiar.  Levará alimento de qualidade para as família mais vulneráveis, atuando em conjunto com o ES Solidário”, disse.

Representantes de diversas instituições também participaram da solenidade virtual. Antônio Carlos Machado, diretor-presidente do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), também elogiou a iniciativa e parabenizou as equipes envolvidas. “Agradecemos ao governador e à vice-governadora por confiar ao Incaper esta entrega. Precisamos de ações rápidas para os capixabas, especialmente para as famílias mais vulneráveis, e para o fortalecimento da agricultura familiar do Espírito Santo. O AlimentarES é uma das respostas para o enfrentamento desta crise causada pela pandemia, e mostra o comprometimento que temos com a vida”, asseverou Machado.

A equipe da Secretaria de Economia e Planejamento (SEP) também participou ativamente na estruturação do AlimentarES, segundo explica a subsecretária de Planejamento e Projetos, Joseane Zoghbi. “Utilizando o Canvas, uma ferramenta de planejamento, favorecemos o processo de construção coletiva e criativa desse programa, com muito diálogo entre todos os atores envolvidos – Secretarias e Órgãos do Governo e a sociedade civil”, disse.

A Rede AlimentarES envolve a articulação de diversas secretarias e órgãos do Governo do Estado, por meio da atuação direta da Vice-Governadoria, das Secretarias de Estado de Direitos Humanos (SEDH), da Saúde (Sesa), da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) e de Economia  e Planejamento (SEP); da Superintendência Estadual de Comunicação Social do Espírito Santo (Secom); do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Ténica e Extensão Rural (Incaper); das Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa); do Corpo de Bombeiros Militar; e da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes); além da parceria da Universidade Salesiano (Unisales) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Fonte: Governo do Espírito Santo

Últimas notícias

Rastreabilidade do gado atende às exigências do mercado europeu e proporciona maior rentabilidade aos pecuaristas

O mercado internacional de carne bovina está em crescimento. Segundo o USDA, serão ...

Cinco plantas para melhorar a energia do lar

Elas servem para perfumar, embelezar e até mesmo para alimentar. Mas o que ...

Oeste da Bahia vai ampliar cultivo de cereais e pode ajudar autossuficiência do Brasil

A triticultura da região oeste da Bahia pode contribuir na busca por autossuficiência ...

Mundo digital é uma oportunidade de negócios no agro

O agronegócio avançou fortemente em termos de digitalização durante a pandemia do novo ...

Estudantes realizam ação de reflorestamento em Colatina

A atividade foi coordenada pelo Núcleo de Educação Ambiental e Agroecologia Estudantes e ...