Mapa registra recorde de 95 defensivos de controle biológico em 2020

O Ato n° 70 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado nesta segunda-feira (11) no Diário Oficial da União, traz o registro de 56 produtos formulados, ou seja, defensivos agrícolas que estarão disponíveis para uso pelos agricultores. Os produtos registrados foram concedidos ainda em 2020.

Desse total, quatro são ingredientes ativos novos, sendo três de baixo impacto: dois ingredientes ativos à base dos organismos Habrobracon hebetor e Clonostachys rosea que serão utilizados, respectivamente, para o controle de diversas traças de armazenamento e no controle de Botrytis cinerea,que é um mofo que afeta diversos frutos, além de qualquer outra cultura em que essas pragas forem encontradas; e um produto que utiliza Peptídeo Derivado de Proteína Harpin (PDPH) para atuar de forma indireta no controle de fungos. 

Todos os demais produtos registrados utilizam ingredientes ativos cadastrados anteriormente no país.

Recorde de registros de produtos de controle biológico

Entre os produtos registrados, 19 são produtos de baixo impacto. Desses, 15 são compostos por microrganismos como a Beauveria bassiana, o Trichoderma asperellum, o Clonostachys rósea e o Metarhizium anisopliae, que são agentes microbiológicos de controle de pragas que atacam os cultivos brasileiros. Os outros quatro são produtos contendo pequenas vespas predadoras de pragas (Habrobracon hebetorTelenomus podisiTrichogramma galloi) e um que utiliza o PDPH.

Com a publicação desta segunda-feira, o total de 95 produtos de baixo impacto foram registrados em 2020. Esse é o maior número de registros de produtos desse perfil em um mesmo ano. 

O coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins do Mapa, Bruno Breitenbach, ressalta que os novos registros confirmam 2020 como o ano mais importante para o registro de biopesticidas, importantes ferramentas para tornar a agricultura brasileira ainda mais sustentável. 

“Nunca se registrou tantos produtos fitossanitários sustentáveis como nesse ano. Anteriormente, o ano de 2018, com 52 produtos registrados, era o maior já alcançado com esse perfil”, destaca o coordenador.

Atualmente, soma-se um total de 411 produtos de baixo impacto disponíveis para os produtores.

Os produtos considerados de baixo impacto possuem ingredientes ativos biológicos, microbiológicos, semioquímios, bioquímicos, extratos vegetais e reguladores de crescimento, podendo ser autorizados em vários casos na agricultura orgânica.

Esses produtos são importantes para agricultura não apenas pelo impacto toxicológico e ambiental, mas também por beneficiar as culturas de suporte fitossanitário insuficiente (minor crops), pois esses produtos são registrados por pragas e não por cultura. como ocorre com os químicos.

Todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais. 

Fonte: Mapa

Últimas notícias

Definidas condições para liberação de linha de crédito para cafeicultores atingidos por geadas

O Voto será submetido ao Conselho Monetário Nacional, para em seguida disponibilizar essa ...

Congresso das Mulheres do Agronegócio terá debate sobre “Bioeconomia” e a relação entre o progresso econômico e o meio-ambiente

Mesa-redonda reunirá representantes de diferentes elos da cadeia produtiva para discutir os melhores ...

Exportações do agronegócio batem recorde para setembro, com US$ 10,1 bilhões

O complexo soja e as carnes foram destaques nas exportações do mês, registrando ...

Lançadas as primeiras variedades de batata coloridas do Brasil

Chegam ao mercado nacional as primeiras variedades de batata coloridas desenvolvidas no Brasil ...

Cooperativa lança plataforma com o maior acervo digital do agro

A Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus) coloca no ar hoje (15), a maior ...