Novo modelo de pavimentação pretende melhorar estradas rurais capixabas

Julio Huber

Há muitos anos o Programa Caminhos do Campo vinha pavimentando estradas rurais em todas as regiões do Espírito Santo. Com a paralisação do projeto, que era um suporte para a escoação de produção agrícola e auxiliava no desenvolvimento do turismo no Estado, muitas estradas rurais capixabas têm ficado em situações precárias. Mas, um novo projeto, lançado hoje (03) pelo governo estadual, pode ser um retorno de ações de melhorias de acessos a regiões agrícolas do Estado.

Em uma cerimônia online, o governador Renato Casagrande inaugurou o primeiro Centro de Distribuição de REVSOL (CDR) no Estado, no município de Alfredo Chaves. O REVSOL é um coproduto gerado durante a transformação do ferro-gusa em aço na ArcelorMittal Tubarão, e será usado para melhorias em estradas vicinais, mas em um modelo diferente do bem sucedido Caminhos do Campo.

O termo de cooperação foi assinado entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), a Prefeitura do município e a empresa ArcelorMittal para a implantação do CDR.

Durante a solenidade virtual, Casagrande destacou essa parceria na recuperação de estradas no Estado. “Assim, o Projeto Terra Firme vai ganhando corpo. Uma estrada que não tem pavimento depende de drenagem. Então juntos com o REVSOL também vamos fazer uma boa drenagem. O CDR vai atender também os municípios vizinhos de Alfredo Chaves. Essa região é alicerçada em dois pilares: turismo e agricultura. Em ambos, a estrada é fundamental. Vamos levar mais qualidade de vida e mais segurança para os moradores dessa região. O trabalho da ArcelorMittal também precisa ser reconhecido, pois é um dos pilares do desenvolvimento no Espírito Santo”, afirmou.

A implantação do CDR faz parte do Programa Novos Caminhos, uma iniciativa socioambiental da empresa junto ao poder público. Atualmente, 43 prefeituras capixabas são beneficiadas pelo projeto da empresa. O volume doado, desde o início do Programa, há 14 anos, passou de 2,25 milhões de toneladas, o equivalente a mais de 870 km de vias recuperadas.

O transporte será totalmente custeado pela ArcelorMittal. Ao todo, cinco mil toneladas de REVSOL estarão disponíveis mensalmente para toda a região, sendo que duas mil toneladas ficarão à disposição do município de Alfredo Chaves. A Seag está disponibilizando uma pá carregadeira para facilitar o manuseio do REVSOL para que os municípios vizinhos que estejam aptos e de acordo com o programa estabelecido pela empresa, possam retirar o material no Centro de Distribuição.

O secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, exaltou a iniciativa: “Vamos utilizar o REVSOL no revestimento de estradas vicinais, dando mais qualidade de vida às pessoas”, disse.

O subsecretário de Estado de Infraestrutura Rural, Rodrigo Vaccari, salientou que o objetivo da Seag é ampliar essa rede de distribuição em outros municípios. “Vamos utilizar esse material para melhorar a pavimentação das estradas propiciando o escoamento da produção agrícola e o fortalecimento da infraestrutura rural”, afirmou.

Os coprodutos Revsol/Revsol Plus são gerados durante a transformação do ferro-gusa em aço na ArcelorMittal Tubarão e utilizados como revestimento também em acessos e pátios em geral, devido à sua elevada capacidade de suporte de cargas do material.

Também participaram da cerimônia online o CEO Aços Planos América do Sul e Presidente da ArcelorMittal Brasil, Benjamin Baptista Filho, o vice-presidente de Operações da ArcelorMittal Tubarão, Erick Torres, além de deputados e prefeitos de vários municípios.

Desde 2006, a empresa doa os coprodutos para prefeituras capixabas, através do programa Novos Caminhos, cujo objetivo é melhorar as condições de tráfego das vias rurais e vicinais do Estado, permitindo, assim, o escoamento da produção rural e o acesso das comunidades a serviços como policiamento, ambulâncias e ônibus escolares, entre outros benefícios.

Para Benjamin Baptista Filho, a expectativa é ampliar ainda mais a iniciativa: “É uma satisfação participar desse projeto que já dura 14 anos e é motivo de orgulho para nós. Com esse centro, vamos poder atender mais municípios do Sul do Estado”, afirmou.

Com a sua formalização, o convênio também possibilitará à ArcelorMittal Tubarão alcançar municípios mais afastados, como localidades a mais de 100 km de distância da empresa, para onde o valor do frete limitava a entrega dos coprodutos.

Instalado numa área de mais de 5 mil metros quadrados, o CDR de Alfredo Chaves terá capacidade para armazenar até cinco mil toneladas de coprodutos por mês. A proposta é iniciar o piloto com sete municípios da região Sul (Iconha, Piúma, Rio Novo do Sul, Anchieta, Marechal Floriano, Venda Nova do Imigrante e Domingos Martins), que poderão buscar os coprodutos no CDR, a partir de solicitação ao setor responsável na empresa.

Últimas notícias

Projeto do ES é selecionado em concurso de soluções para restaurar a bacia do rio Doce

Cinco iniciativas de plantio sustentável com fins econômicos foram selecionadas em parceria realizada ...

ES integra operação nacional Mata Atlântica em Pé

O balanço da ação no Estado será apresentado no próximo dia 1º, em entrevista ...

Programa CNA Jovem tem 3.742 inscritos e seleciona 1.400 para oficinas digitais

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) apresentou o primeiro balanço das atividades ...

Conab: safra brasileira de café é a segunda maior da história

Em seu 3º Levantamento da Safra 2020 de café, a Companhia Nacional de ...

Primavera começa com transição entre estações seca e chuvosa

Com o gradativo aumento das chuvas em grande parte do país nesta época ...