Dia Nacional do Café: associação apresenta modernização para setor de cafés especiais no Brasil

O Brasil comemora, hoje (24), o Dia Nacional do Café, cultura que contribuiu para o processo de modernização e industrialização do país. Para celebrar a data e seus 30 anos de fundação, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) apresentará diversas novidades ao setor, que envolvem a otimização nos processos de certificação, agora destinados a produtores de arábica e também de canéfora, a sofisticação de seus selos, o novo protocolo para adesão à instituição e o lançamento de uma websérie, que retrata a história do café especial nacional nas últimas três décadas sob o olhar da entidade.

CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE – A partir de hoje, a BSCA amplia seu portfólio de certificação de qualidade, incluindo também os produtores de café canéfora, que cultivam as variedades robusta e conilon no Brasil, além de manter o atestamento para a espécie arábica. Os certificados são divididos em três categorias, permitindo que o cafeicultor opte pela modalidade que melhor se adapta à sua realidade.

  • Boas Práticas – Certificação para membros com até 200 hectares, que não possuem uma certificação socioambiental, mas que se enquadram nas exigências da BSCA.
  • Fazenda Certificada – Voltada a membros com certificação de sustentabilidade ou socioambiental.
  • Qualidade no Blend – Certificação para atender à demanda de blends (mesclas) de café de exportadoras, cooperativas, industriais, etc.
  • Auditorias: São feitas por amostragem, sem aviso prévio, por um funcionário da BSCA ou por empresa nomeada pela Associação para realizar o serviço. Se for constatada divergência de produto, há penalidades, como a perda do certificado, entre outras.

SELOS – Para acompanhar as novas certificações e dar identidade visual a elas, a entidade propôs um novo design para seus selos, mais sofisticados e que trazem a BSCA em seu DNA. Os selos “Boas Práticas” e “Fazenda Certificada” apresentam layouts que diferenciam os produtos nas categorias ouro, prata e bronze.

O “Artesanal” possui diferenciação para destacar que se tratam de cafés produzidos artesanalmente, concedido com a nota exata, desde que a partir de 85 pontos, para lotes de até 10 sacas com Certificado de Boas Práticas ou de Fazenda Certificada, cujos grãos serão vendidos torrados e com validade máxima de 12 meses. Já o selo “Qualidade no Blend” atesta produtos adquiridos por membros BSCA, que elaboram sua mistura (blend) e enviam a amostra para análise da Associação, que concede o selo também com a nota fidedigna a partir de 80 pontos.

ADESÃO – Com o objetivo de incluir mais produtores no processo de cultivo de cafés especiais, que entrega rentabilidade muito superior à produção dos grãos convencionais, e fazer com que tenham o direito de obter os Certificados de Qualidade e os Selos BSCA, a Associação ampliou as possibilidades para os que desejam se tornar membro.

“Este processo vem ao encontro do desejo de pequenos e médios produtores que pretendem estar conosco e, consequentemente, propiciar a eles mais oportunidades para vendas com agregação de valor”, destaca a diretora da entidade, Vanusia Nogueira.

A partir de agora, é possível a inclusão de propriedades sem certificação, mas com possibilidade de certificar a qualidade de seus cafés, desde que cumpra critérios como: possuir um currículo mínimo de boas práticas socioambientais e, para propriedades com até 20 hectares destinados à cultura, ter um responsável técnico (com registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA), que deverá fazer um curso on-line de boas práticas na plataforma da BSCA (gratuito nesse primeiro momento).

Esse produtor deverá assinar, junto com o responsável técnico aprovado no curso, um termo de cumprimento das boas práticas. Produtores com propriedades entre 20 e 200 hectares que desejem debutar no quadro da entidade poderão ser integrantes de grupos de associados ou das grandes compradoras internacionais, que possuam validações de boas práticas com parte integrante da parceria produtores-comprador.

Todas as propriedades associadas à BSCA na categoria “Boas Práticas” têm direito a certificar a qualidade de seus cafés na categoria e a adquirir os selos que poderão ser de Boas Práticas ou Artesanal.

WEBSÉRIE – Para celebrar seus trinta anos de história, a Associação lança, nesta segunda-feira, a websérie “História do Café Especial – O Olhar da BSCA em 30 Anos”. “Falar de nossas três décadas é falar da história do reconhecimento da qualidade dos produtos brasileiros trabalhada a muitas mãos, em um verdadeiro labor coletivo. Nesses 30 anos, celebramos as Bodas de Pérola e, nesse seriado, buscaremos contar as histórias de muitas dessas pérolas que ajudamos a descobrir para o mercado mundial e, ainda, o que vislumbramos para o futuro”, conclui Vanusia.

A websérie terá 30 episódios, que serão divulgados semanalmente, e pode ser assistida no canal do YouTube da BSCA. O primeiro capítulo já pode ser conferido clicando aqui.

Fonte: BSCA

Últimas notícias

Coops já podem enviar projetos para o PAA

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou o sistema para recebimento dos projetos ...

Selo Arte para produtos de abelhas e derivados terá início em outubro

Podem receber o Selo produtos artesanais de abelhas Apis mellifera e de abelhas ...

Você conhece a Doença de Haff? Mapa monitora casos no Brasil

Orientação é que consumidor adquira pescado com selo de inspeção oficial O Ministério ...

Fórum Café e Clima apresenta condições da produção diante dos impactos climáticos

Como os cafezais estão reagindo diante do comportamento do clima, marcado por seca, ...

Bolsonaro veta projeto sobre medidas emergenciais de amparo à agricultura familiar

Foto: Veja O presidente Jair Bolsonaro vetou um projeto de lei sobre medidas ...