Produtor rural usa a criatividade para fabricar as próprias máquinas

Antônio Andrade relata que as engenhocas proporcionaram uma diminuição dos custos e ainda facilitam o trabalho

Existe um ditado popular que diz que não há melhor mestra que a necessidade. E foi isso que aconteceu com o produtor rural Antônio da Silva Andrade. Buscando diminuir as despesas da alimentação do gado de leite, facilitar e agilizar o trabalho no Sítio da Esperança, em São João da Lagoa, região Norte de Minas, o agricultor teve a ideia de criar algumas engenhocas como uma máquina para encher silo, brete, adubador e arco para aproveitar lona.

O produtor conta que procurava uma alternativa para reduzir os custos com a alimentação do gado, mas para fazer a silagem de modo tradicional, teria uma despesa maior e também levaria mais tempo. Assim, teve a ideia de pegar algumas peças que estavam sem uso para montar a máquina.  “Eu pensei, tenho condições de fazer, peguei só coisa velha, um redutor, um eixo de caminhão e adaptei na picadeira”.

O agricultor relata que levou trinta dias para montar a máquina e já ensacou aproximadamente 40 toneladas de alimentos para o gado, além disso a invenção ajudou a reduzir o tempo de trabalho.            

Com madeiras e troncos, Antônio conseguiu contornar mais uma dificuldade, a de manter as vacas quietas no momento da inseminação artificial.  “Precisava de encontrar um meio de deixar a vaca imóvel para facilitar a inseminação, então tive a ideia de criar uma parte de um brete, por isso chamei de pré-brete”, relata.

O pré-brete criado pelo agricultor é bem semelhante ao tradicional, utilizado para conter os animais. Possui tronco de contenção, paredes laterais e porta de entrada/saída.

Outras atividades que precisavam de melhorias na propriedade eram adubação e a semeadura. Elas eram feitas manualmente. Mas, segundo Antônio, o processo não produzia o resultado pretendido, então, mais uma vez, o produtor inventor usou a criatividade e montou uma engenhoca que serve tanto para adubar quanto para semear 

Para construir a engenhoca, ele utilizou peça de tanquinho, embreagem, tampa de panela e peças de bicicleta.  Antônio conta que agora, além do resultado do trabalho sair de acordo com as expectativas, ele consegue adubar ou plantar uma área com o tempo mais reduzido.

E como o agricultor gosta de aproveitar os recursos que tem para fazer as engenhocas, podendo assim economizar e facilitar o trabalho, ao ter a ideia da geringonça para guardar lonas usadas na propriedade. Ele aproveitou um arco de ferro. “ Essa geringonça é bem simples, visto a lona na estrutura e travo com o ferro que está na lateral”, explica.

O extensionista da Emater -MG Diógenes Maurílio explica que presta assistência ao produtor há algum tempo, e sempre o orientou a buscar ferramentas que facilitem o trabalho e melhorem a qualidade da produção de leite. “Nós viabilizamos um crédito rural do Pronaf para que ele pudesse adquirir uma picadeira e fazer melhoramentos na atividade. Com esta picadeira ele conseguiu produzir um alimento de melhor qualidade e desenvolver a máquina de encher silo”. 

O técnico conta que Antônio é muito dedicado e está sempre buscando meios para driblar as adversidades. O extensionista ainda acrescenta que o produtor conseguiu, em apenas dois anos, duplicar a produção diária de leite, sendo um exemplo para os demais agricultores.    

Quem também está orgulhoso das invenções é Tiago Andrade da Silva, filho de Antônio. Ele conta que as máquinas ajudaram muito a diminuir os custos com a alimentação do gado e também facilitaram o trabalho deles. Tiago ressalta que admira muito a criatividade do pai, pois ele inicia a montagem das engenhocas só com a ideia na cabeça e nunca fez cursos.  

O filho de Antônio diz que pretende dar continuidade à tradição familiar na produção rural e espera também desenvolver o mesmo talento do pai para criação de engenhocas.  “Acredito que quando ficar mais velho, vou ter a mesma habilidade que ele. E trabalhando ao lado de um professor, é impossível não aprender”, completa. 

PREMIO DE CRIATIVIDADE RURAL – A Emater-MG lançou um concurso que vai eleger as melhores ideias colocadas em prática pelos produtores rurais de Minas Gerais. É o 7º Prêmio Emater-MG de Criatividade Rural.  As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 9 de julho. 

O concurso tem o objetivo reconhecer e disseminar inovações tecnológicas que gerem melhorias em sistemas de produção, de processamento e de comercialização de produtos agropecuários. Podem participar produtores rurais de forma individual ou representados por associações e cooperativas.

Todos os projetos inscritos precisam ter um responsável técnico da Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Cada participante poderá inscrever apenas um projeto, que precisa ter sido implementado a partir de 2016, com resultados efetivos. O regulamento  completo  está disponível no site www.emater.mg.gov.br.  

Fonte: Emater- MG

Últimas notícias

Coops já podem enviar projetos para o PAA

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou o sistema para recebimento dos projetos ...

Selo Arte para produtos de abelhas e derivados terá início em outubro

Podem receber o Selo produtos artesanais de abelhas Apis mellifera e de abelhas ...

Você conhece a Doença de Haff? Mapa monitora casos no Brasil

Orientação é que consumidor adquira pescado com selo de inspeção oficial O Ministério ...

Fórum Café e Clima apresenta condições da produção diante dos impactos climáticos

Como os cafezais estão reagindo diante do comportamento do clima, marcado por seca, ...

Bolsonaro veta projeto sobre medidas emergenciais de amparo à agricultura familiar

Foto: Veja O presidente Jair Bolsonaro vetou um projeto de lei sobre medidas ...