Gafanhotos estão a 80 quilômetros do Brasil e 4ª nuvem dos insetos é identificada

Após deixar autoridades brasileiras em alerta com a aproximação de gafanhotos ao Estado do Rio Grande do Sul, o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa), que é uma agência do governo da Argentina, informou que foi identificada a quarta nuvem dos insetos no país.

Entretanto, mesmo com a eliminação de cerca de 80% dos insetos da primeira nuvem, os insetos se movimentara, neste final de semana, e estão a 80 quilômetros de Barra do Quaraí, no Rio Grande do Sul.

A quarta nuvem da praga agrícola foi localizada em Salta, na Argentina. Segundo o Senasa, o alerta foi feito por um produtor na última sexta-feira (31). “Senasa ainda não a viu. Mas eles nos enviaram um vídeo. Oficialmente já anunciamos que existem quatro nuvens de gafanhotos”, afirmou, ao portal G1, o engenheiro agrônomo e chefe do Programa Nacional de Gafanhotos do Senasa, Hector Emilio Medina.

O governo argentino ainda não tem informações sobre o tamanho dessa quarta nuvem. Uma equipe do Senasa iria até o local para verificar a presença das pragas.

Pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Rio Grade do Sul, têm apresentado simulações e estimativas da trajetória das nuvens de gafanhotos, que estão se deslocando pelo Paraguai e Argentina desde maio. A instituição já havia informado, na sexta, que quatro nuvens de gafanhotos foram localizadas na América do Sul até o momento.

Os insetos são combatidos por meio de aviões agrícolas e também por meio terrestre

Conforme a UFPel, a primeira nuvem, já acompanhada pela pesquisa, foi localizada em maio, vinda do Paraguai para a Argentina e foi praticamente exterminada na última semana em Federación, divisa da Argentina com o Uruguai.

O município de Federación fica a aproximadamente 90 km, em linha reta, de Barra do Quaraí, cidade da fronteira do Rio Grande do Sul. Segundo o governo argentino, a aplicação de inseticida eliminou 80% da nuvem de gafanhotos.

A segunda nuvem de gafanhotos foi localizada no Paraguai, em 16 de julho, na província del Chaco, e se encontra atualmente em El Pintado. Simulações para esta nuvem foram apresentadas pelos pesquisadores no dia 22 de julho, quando a nuvem estava em General Güemes. Mas, com a chegada do frio, a nuvem se manteve sem grandes deslocamentos desde então.

A terceira nuvem foi localizada pelo governo da Argentina em 21 de julho, e se encontra em Ingeniero Juárez, província de Formosa, na Argentina. A UFPel disse que passou a monitorar esta nuvem e as primeiras simulações são apresentadas.

Saiba mais sobre as nuvens de gafanhotos nas matérias abaixo

Nuvem de gafanhotos devoradores pode chegar ao Brasil nos próximos dias

Especialistas explicam sobre os gafanhotos que avançam em direção ao Brasil

Frente fria poderá afastar nuvem de gafanhotos do Brasil

Aviões podem ser usados para combater nuvem de gafanhotos no Brasil

Gafanhotos: governo declara emergência fitossanitária no RS e em SC

Monitoramento indica que nuvem de gafanhotos não entrou no Brasil

Portaria define medidas para controle da praga dos gafanhotos em caso de surto no Brasil

Argentinos localizam gafanhotos e devem usar aviões para combater os insetos

Após eliminar 15% dos gafanhotos, combate na Argentina continua

Onde estão os gafanhotos que se aproximavam do Brasil?

Gafanhotos se aproximam do Brasil e outra nuvem está no Paraguai

Veja como mais de 80% dos gafanhotos foram eliminados após ações aéreas e terrestres

Últimas notícias

Rastreabilidade do gado atende às exigências do mercado europeu e proporciona maior rentabilidade aos pecuaristas

O mercado internacional de carne bovina está em crescimento. Segundo o USDA, serão ...

Cinco plantas para melhorar a energia do lar

Elas servem para perfumar, embelezar e até mesmo para alimentar. Mas o que ...

Oeste da Bahia vai ampliar cultivo de cereais e pode ajudar autossuficiência do Brasil

A triticultura da região oeste da Bahia pode contribuir na busca por autossuficiência ...

Mundo digital é uma oportunidade de negócios no agro

O agronegócio avançou fortemente em termos de digitalização durante a pandemia do novo ...

Estudantes realizam ação de reflorestamento em Colatina

A atividade foi coordenada pelo Núcleo de Educação Ambiental e Agroecologia Estudantes e ...